conecte-se conosco

Famosos

Famosos apoiam os atletas da NFL que se ajoelham contra Trump

Publicado

em

1506340886_679644_1506359357_noticia_normal_recorte1

Stevie Wonder e Pharrell Williams são dois dos cantores que se ajoelharam para protestar contra Donald Trump numa manifestação de apoio aos jogadores de futebol americano que têm se ajoelhado durante o hino nacional dos Estados Unidos,
em protesto pela injustiça racial no país. Um gesto que provocou a
irritação do presidente dos EUA, que chegou a fazer um pedido no Twitter
para que a liga nacional de futebol americano (NFL) seja boicotada.
Como resposta foi lançada nas redes sociais a hashtag #TakeTheKnee, que recebeu o apoio de numerosos rostos conhecidos.

“Essa noite me ajoelho pelos Estados Unidos.
Mas não com um joelho, com os dois. Com os dois joelhos no chão em uma
oração por nosso planeta, nosso futuro, nossos líderes mundiais”,
declarou o cantor cego, de 67 anos, sustentado por seu filho Kwame
Morris, no último sábado, dia 23, em Nova York. O cantor participou do
show que reuniu artistas famosos e políticos para apoiar a luta contra a
pobreza em todo o mundo, enquanto o presidente norte-americano quer
reduzir a ajuda internacional dos Estados Unidos. O cantor Pharrell
Williams também estava no evento.

O próprio Williams faria o mesmo gesto no dia seguinte durante um show em Charlottesville, centro dos protestos racistas de março e agosto.
“Eu quero me ajoelhar agora mesmo pelas pessoas de minha cidade, pelas
pessoas de meu Estado, pelo que essa bandeira significa”, disse o também
produtor musical antes de se ajoelhar diante do público em um discurso
em que pediu “liberdade de expressão e de religião”.

A polêmica começou na sexta-feira passada, quando Donald Trump chamou de “filho da puta” o jogador Colin Kaepernick,
ex-San Francisco 49ers, hoje sem equipe, que há um ano começou a se
ajoelhar na hora o hino antes das partidas, em protesto contra a violência racial.
Muitos outros jogadores seguiram seu exemplo, especialmente neste fim
de semana, após os ataques do presidente em seus discursos e pelo
Twitter. “Se os torcedores da NFL se negassem a ir às partidas até que
os jogadores deixem de faltar com o respeito à nossa bandeira e ao nosso
país, as coisas mudariam rápido. Que sejam demitidos ou suspensos”,
dizia Trump num desses tuítes.

“Protestar é patriótico. Os protestos assumiram um
importante papel em elevar as vozes dos mais vulneráveis da nossa nação.
É a definição de patriotismo. Cada vez que alguém se ajoelha ou ergue o
punho, os espectadores devem enfrentar o porquê, com a incômoda
realidade de que nosso país marginaliza diariamente milhares de pessoas
das comunidades pobres”, escreveu o cantor John Legend numa carta à revista Slate. Ele também compartilhou uma foto na sua conta do Instagram, que tem 7,2 milhões de seguidores, onde aparece ajoelhado e com o punho erguido durante seu show em Hamburgo.

São muitos outros os rostos conhecidos que mostraram seu apoio aos jogadores de futebol americano através de suas contas nas redes sociais, utilizando a hashtag #TakeTheKnee [“ajoelhe-se”]. “Como seguidora do futebol americano, hoje estou orgulhosa dos jogadores da NFL. Nada é mais norte-americano que o direito ao protesto pacífico”, escreveu em seu Twitter a apresentadora Ellen DeGeneres. “Sei que não deveria falar de esporte, mas os comentários de Trump sobre os jogadores da NFL voltam a provar que ele está decidido a envenenar todos os aspectos da vida norte-americana”, escreveu por sua vez o cantor John Mayer.

A atriz Uzo Aduba, conhecida por seu papel de Suzanne Warren (Crazy Eyes) na série Orange Is The New Black, imortalizou o mesmo gesto com uma imagem que compartilhou no Twitter. “É assim de simples #TakeAKnee”, dizia a seu quase meio milhão de seguidores. A também atriz Olivia Wilde e todo o elenco da obra da Broadway 1984 se ajoelharam sobre o palco depois da apresentação, como ela mesma se encarregou de mostrar numa foto para os seus 2,6 milhões de seguidores no Instagram, onde ela também mostrou sua participação na marcha das mulheres contra Trump em Washington, em janeiro passado. O cantor e produtor P. Diddy foi outro que mostrou seu apoio aos jogadores da NFL com um vídeo nas suas redes sociais, chamando-os de “heróis” e pedindo que mostrem “unidade” e “força”. A mesma solidariedade com os atletas foi manifestada pela cantora e atriz Zendaya, pela atriz e roteirista de Girls Lena Dunham, pela diretora de Selma, Ava DuVernay, pelo realizador Michael Moore, pelos atores Samuel L. Jackson, Mark Hamill, Zoë Kravitz e America Ferrara e pela escritora JK Rowling.

(Elpaís)

Notícias do Brasil e do mundo você encontra aqui. Leia, comente, compartilhe e assista nossos programas. NBO - Um Novo Brasil Online começa aqui.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Daniel Craig leiloa seu carro do 007 para caridade

Publicado

em

3420220

Daniel Craig, diretor da organização de caridade The Opportunity Network ao lado da esposa Rachel Weisz, está leiloando seu veículo particular da Aston Martin, marca de carros que aparece nos filmes da franquia James Bond desde 1964, em 007 Contra Goldfinger. O valor estimado do automóvel varia de US$ 400 milhões a US$ 600 milhões.

De exterior azul-marinho e interior em couro azul-escuro, o carro do ator é uma edição limitada da Aston Martin, um Vanquish 2014 produzido para comemorar o centenário da marca. Dos cem veículos produzidos, Craig possui o automóvel de número 007 (óbvio!). Os carros de luxo da fabricante britânica apareceram em todos os filmes estrelados por ele: 007 Contra Spectre (2015), 007 – Operação Skyfall (2012), 007 – Quantum of Solace (2008) e 007 – Cassino Royale (2006).

O dinheiro arrecadado com a venda será revertido para organização da qual Craig é um dos diretores, segundo a casa de leilões Christie’s . A The Opportunity Network foca no auxílio de objetivos acadêmicos e profissionais de jovens de comunidades carentes.

Craig irá interpretar o espião mais conhecido da sétima arte mais uma vez em James Bond 25. O 25º filme da franquia tem previsão de ser lançado no dia 7 de novembro de 2019, mas ainda permanece em busca de um diretor após Denis Villeneuve ter sido descartado.

 

Fonte: terra

Continue lendo

Entretenimento

Mulheres vão de preto ao Bafta contra o assédio — e Kate, não

Publicado

em

entretenimento-bafta-premiacao-20180218-015

Kate Middleton não aderiu ao movimento contra o assédio e o abuso sexual do Bafta 2018, que acontece neste domingo no Reino Unido. Celebridades usaram vestidos de cor preta no tapete vermelho da premiação, considerada o Oscar do cinema britânico. A duquesa de Cambridge, que está grávida do terceiro filho, entrou no recinto com um vestido verde-escuro e um cinto preto, look assinado pela estilista Jenny Packham.

Kate chegou acompanhada do príncipe William, o segundo na linha de sucessão da coroa britânica e presidente dos Bafta desde 2010. Nos últimos dias, especulou-se a possibilidade da duquesa se unir às atrizes em seu protesto contra o assédio vestindo negro, cor que ela escolheu para seu traje no ano passado na mesma cerimônia.

No entanto, a duquesa de Cambridge, como é habitual entre os membros da família real, não se juntou ao protesto político, na qual participaram atrizes como Angelina Jolie, Saoirse Ronan, Salma Hayek, Jennifer Lawrence, Sally Hawkins e Greta Gerwig.

O luto no tapete vermelho do Bafta segue os protestos em premiações americanas, incluindo o Globo de Ouro e o Grammy. Nesta semana, mulheres britânicas ainda criaram um fundo de apoio para ajudar vítimas de assédio e abuso sexual chamado Justice and Equality Fund.

 

Fonte: veja

Continue lendo

Entretenimento

Amiga que doou rim a Selena Gomez sobre recuperação: ‘humilhante’

Publicado

em

selena
A atriz Francia Raisa contou as dificuldades que passou após doar um rim para a amiga Selena Gomez no último ano. “Eu sou uma pessoa muito ativa, então foi bem difícil quando meu médico disse que não poderia me exercitar por dois meses”, explicou no programa de entrevistas da televisão americana apresentado pelo cantor Harry Connick Jr. “Não conseguia levantar sem a ajuda de alguém. Isso era bem humilhante”, desabafou.Em setembro de 2017, Selena revelou que precisou de um transplante de rim. “É mais difícil para o doador, porque estamos perdendo algo que o seu corpo não precisa perder”, afirmou Francia. “Eu não podia fazer nenhum tipo de exercício. Todos os dias, esperava poder beber um café e andar, mas não conseguia. Isso era muito difícil.”

Gomez foi diagnosticada com lúpus em 2013. A doença autoimune produz anticorpos que agem contra os próprios tecidos do organismo. Entre os principais órgãos afetados, encontram-se pele, rins e pulmão. Ainda não foi descoberta uma cura para a patologia.

Francia postou um vídeo em seu Instagram em que é possível ver as cicatrizes resultantes do procedimento pelo qual passou, quando voltou a fazer exercícios físicos. Na entrevista ainda contou que está mais próxima de Selena. “Nós somos uma família agora. Ela tem o meu sangue”, afirmou, de acordo com o site americano Just Jared.

 

 

Happy to be back

Uma publicação compartilhada por Francia Raísa (@franciaraisa) em


Fonte: veja

Continue lendo
Publicidade

+Vistos