conecte-se conosco

Famosos

Famosos apoiam os atletas da NFL que se ajoelham contra Trump

Publicado

em

1506340886_679644_1506359357_noticia_normal_recorte1

Stevie Wonder e Pharrell Williams são dois dos cantores que se ajoelharam para protestar contra Donald Trump numa manifestação de apoio aos jogadores de futebol americano que têm se ajoelhado durante o hino nacional dos Estados Unidos,
em protesto pela injustiça racial no país. Um gesto que provocou a
irritação do presidente dos EUA, que chegou a fazer um pedido no Twitter
para que a liga nacional de futebol americano (NFL) seja boicotada.
Como resposta foi lançada nas redes sociais a hashtag #TakeTheKnee, que recebeu o apoio de numerosos rostos conhecidos.

“Essa noite me ajoelho pelos Estados Unidos.
Mas não com um joelho, com os dois. Com os dois joelhos no chão em uma
oração por nosso planeta, nosso futuro, nossos líderes mundiais”,
declarou o cantor cego, de 67 anos, sustentado por seu filho Kwame
Morris, no último sábado, dia 23, em Nova York. O cantor participou do
show que reuniu artistas famosos e políticos para apoiar a luta contra a
pobreza em todo o mundo, enquanto o presidente norte-americano quer
reduzir a ajuda internacional dos Estados Unidos. O cantor Pharrell
Williams também estava no evento.

O próprio Williams faria o mesmo gesto no dia seguinte durante um show em Charlottesville, centro dos protestos racistas de março e agosto.
“Eu quero me ajoelhar agora mesmo pelas pessoas de minha cidade, pelas
pessoas de meu Estado, pelo que essa bandeira significa”, disse o também
produtor musical antes de se ajoelhar diante do público em um discurso
em que pediu “liberdade de expressão e de religião”.

A polêmica começou na sexta-feira passada, quando Donald Trump chamou de “filho da puta” o jogador Colin Kaepernick,
ex-San Francisco 49ers, hoje sem equipe, que há um ano começou a se
ajoelhar na hora o hino antes das partidas, em protesto contra a violência racial.
Muitos outros jogadores seguiram seu exemplo, especialmente neste fim
de semana, após os ataques do presidente em seus discursos e pelo
Twitter. “Se os torcedores da NFL se negassem a ir às partidas até que
os jogadores deixem de faltar com o respeito à nossa bandeira e ao nosso
país, as coisas mudariam rápido. Que sejam demitidos ou suspensos”,
dizia Trump num desses tuítes.

“Protestar é patriótico. Os protestos assumiram um
importante papel em elevar as vozes dos mais vulneráveis da nossa nação.
É a definição de patriotismo. Cada vez que alguém se ajoelha ou ergue o
punho, os espectadores devem enfrentar o porquê, com a incômoda
realidade de que nosso país marginaliza diariamente milhares de pessoas
das comunidades pobres”, escreveu o cantor John Legend numa carta à revista Slate. Ele também compartilhou uma foto na sua conta do Instagram, que tem 7,2 milhões de seguidores, onde aparece ajoelhado e com o punho erguido durante seu show em Hamburgo.

São muitos outros os rostos conhecidos que mostraram seu apoio aos jogadores de futebol americano através de suas contas nas redes sociais, utilizando a hashtag #TakeTheKnee [“ajoelhe-se”]. “Como seguidora do futebol americano, hoje estou orgulhosa dos jogadores da NFL. Nada é mais norte-americano que o direito ao protesto pacífico”, escreveu em seu Twitter a apresentadora Ellen DeGeneres. “Sei que não deveria falar de esporte, mas os comentários de Trump sobre os jogadores da NFL voltam a provar que ele está decidido a envenenar todos os aspectos da vida norte-americana”, escreveu por sua vez o cantor John Mayer.

A atriz Uzo Aduba, conhecida por seu papel de Suzanne Warren (Crazy Eyes) na série Orange Is The New Black, imortalizou o mesmo gesto com uma imagem que compartilhou no Twitter. “É assim de simples #TakeAKnee”, dizia a seu quase meio milhão de seguidores. A também atriz Olivia Wilde e todo o elenco da obra da Broadway 1984 se ajoelharam sobre o palco depois da apresentação, como ela mesma se encarregou de mostrar numa foto para os seus 2,6 milhões de seguidores no Instagram, onde ela também mostrou sua participação na marcha das mulheres contra Trump em Washington, em janeiro passado. O cantor e produtor P. Diddy foi outro que mostrou seu apoio aos jogadores da NFL com um vídeo nas suas redes sociais, chamando-os de “heróis” e pedindo que mostrem “unidade” e “força”. A mesma solidariedade com os atletas foi manifestada pela cantora e atriz Zendaya, pela atriz e roteirista de Girls Lena Dunham, pela diretora de Selma, Ava DuVernay, pelo realizador Michael Moore, pelos atores Samuel L. Jackson, Mark Hamill, Zoë Kravitz e America Ferrara e pela escritora JK Rowling.

(Elpaís)

Notícias do Brasil e do mundo você encontra aqui. Leia, comente, compartilhe e assista nossos programas. NBO - Um Novo Brasil Online começa aqui.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Maitê Proença faz revelação: Fui vítima de assédio inúmeras vezes

Publicado

em

maitê-proença

Com 40 anos de carreira e mais de 20 novelas e projetos no teatro e no cinema, Maitê Proença abriu o jogo ao falar sobre seus anos de trabalho e chocou ao confessar que já sofreu na pele diversas situações de assédio sexual.

A atriz participou do programa Show Business que será exibido na Band, no próximo domingo, dia 01 e bateu um papo com a jornalista Sonia Racy. Durante a conversa, ela relembrou seus grandes papeis como o de Ana Jacinta, em Dona Beija, e, em tempos em que situações de assédio não são mais tratadas com panos quentes, ela assumiu ter sofrido abuso.

– O teste do sofá existia mesmo. Fui vítima de assédio inúmeras vezes, mas sobrevivi, revelou.

Maitê ainda falou sobre a importância do empoderamento feminino e isso fez com que ela tivesse inspiração para a peça A Mulher de Bath, que está em cartaz em São Paulo e em breve no Rio de Janeiro.

-Escolhi um texto do livro Os Contos de Cantuária, de Chaucer, pela contemporaneidade do tema, pela forma com que ele conta as artimanhas do amor, sua luta pela igualdade entre os sexos e a comunicação do texto.

A atriz que também é escritora ainda ao comentar o fato de não estar mais na ligada à Tv Globo, enfatizou que está com outros projetos como livros, no teatro e até mesmo nas telonas.

 

Fonte: estrelando

Continue lendo

Entretenimento

Presidente da Academia, John Bailey é investigado por assédio sexual

Publicado

em

BBKjIOb

John Bailey, presidente da Academia de Artes e Ciências Cinematográficas (AMPAS), está sendo investigado por assédio sexual. A direção da instituição que administra o Oscar recebeu três queixas contra o executivo, e já abriu inquérito para apurar o caso. A informação é da Variety.

Lois Burwell, maquiador veterano que ocupa a vice-presidência da AMPAS, deverá substituir John Bailey até a próxima eleição do cargo, em julho. Seu afastamento é muito provável, haja vista o código de conduta da organização, estabelecido em dezembro, que prevê punição sumária em caso de má conduta de seus membros.

Em outubro, apenas 10 dias após a reportagem do New York Times que denunciou o longo histórico de abuso sexual de Harvey Weinstein, o poderoso produtor foi expulso da Academia. O movimento #MeToo e o próprio posicionamento da instituição provocaram a ausência de Casey Affleck da entrega do Oscar de melhor atriz no Oscar 2018.

A eleição de John Bailey — um homem branco de 75 anos — como sucessor de Cheryl Boone Isaacs, em agosto de 2017, foi motivo de contestação. Ela, mulher e negra, promoveu mudanças fundamentais e positivas na AMPAS após as manifestações do #OscarSoWhite. Ele, muito crítico a quem viu com resistência a sua escolha, está próximo de uma saída pela porta dos fundos da organização.

Fonte: adorocinema

Continue lendo

Entretenimento

Daniel de Oliveira estreia como narrador fora da Globo

Publicado

em

760505140-daniel-de-oliveira-1974546941

Daniel de Oliveira fará sua estreia como narrador da série documental,“Planeta Azul 2”. A produção, de sete episódios da BBC, será exibida no Brasil pelo canal Discovery Channel.

A megaprodução de história natural explora ecossistemas marítimos e teve sua primeira temporada premiada com dois Emmys, segundo colunista Daniela Castro.

Desde que foi contratado pela TV Globo, em 1999, esta é a segunda vez que o artista participa de uma produção fora da emissora. A primeira foi na série “Latitudes”, produzida para o YouTube e que acabou exibida no canal TNT e nos cinemas.

Vale ressaltar que Daniel concluiu a narração de todos os episódios de “Planeta Azul” em apenas cinco dias.

 

Fonte: famosidade

Continue lendo
Publicidade HTML tutorial

+Vistos