conecte-se conosco

Entretenimento

Secretaria de Política para Mulheres pede apuração sobre funks

Publicado

em

mcdiguinho_35226cb194_e1c0f3feae

A Secretaria Nacional de Política para Mulheres e o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher divulgaram uma nota de repúdio a funks acusados de incitar o estupro e pediram investigação do Ministério Público “quanto a possíveis crimes praticados”.

O órgão é ligado à Secretaria de Governo da Presidência da República e afirma na nota que há “clara apologia aos crimes de estupro” nas músicas “Só Surubinha de Leve”, do MC Diguinho, e “Vai Faz a Fila”, do MC Denny.

O funk de MC Diguinho foi tirada das plataformas digitais de música depois de ter mais de 14 milhões de visualizações no YouTube. Ele tem trechos como “Taca bebida, depois taca p. e abandona na rua”.

“Vai Faz a Fila”, de MC Denny, tem versos como “Vou socar na sua b. sem parar/E se você pedir pra eu parar não vou parar” e 29 milhões de visualizações no Youtube. Ainda está no ar.

Nesta sexta-feira (19), a Procuradoria da Mulher da Câmara dos Deputados, a quem compete receber denúncias de violência e discriminação contra a mulher e encaminhá-las aos órgãos competentes, também solicitou providências ao Ministério Público Federal para que essas músicas sejam indisponibilizadas permanentemente e seus autores e intérpretes responsabilizados pela apologia ao crime de estupro.

“Embora a livre manifestação artística seja garantia constitucional assegurada a todos, não é possível permitir a disponibilização de conteúdo que, além de infringir a dignidade da pessoa humana, ainda estimule o sentimento de que o estupro seja um comportamento naturalizado em nossa sociedade. O desrespeito à mulher, ao seu corpo e ao seu consentimento para a prática de qualquer ato acaba por normalizar abusos e incentivar o cometimento desses crimes, que incidem em grande parte sobre crianças e adolescentes. Nenhuma liberdade é maior do que a liberdade de nossas crianças crescerem sadias de corpo e mente”, afirma a nota assinada pela deputada federal Gorete Pereira, procuradora da mulher.

Leia a nota na íntegra da Secretaria Nacional de Política para Mulheres:

“A Secretaria Nacional de Política para Mulheres e o Conselho Nacional dos Direitos da Mulher vem a público manifestar repúdio às canções intituladas “Só Surubinha de Leve”, do Mc Diguinho, e “Vai Faz a Fila”, do Mc Denny, que fazem clara apologia aos crimes de estupro.

Para apuração e responsabilização quanto aos possíveis crimes praticados, a SPM solicitou ao Ministério Público Federal e ao Fórum Nacional de Juízes de Violência Doméstica e Familiar Contra a Mulher (FONAVID) providências cabíveis.

As duas letras se encontram em destaque na lista de “virais” na internet no Brasil. A música é uma manifestação cultural legítima, mas não pode ser ferramenta incentivadora de crime, sendo necessária a tomada de providências legais contra autores, intérpretes e divulgadores.

É importante ressaltar que a investida sexual sem o consentimento da mulher, ou em qualquer circunstância que lhe provoque perda de consciência, caracteriza violência sexual e pelo novo código penal é enquadrado no crime de estupro e crime de estupro de vulnerável, respectivamente.

De acordo com o Anuário da Segurança Pública, 49.497 mulheres sofreram estupro em 2016. Portanto, reforçamos que o trabalho da Secretaria Nacional de Política para Mulheres é para que as mulheres brasileiras tenham seus direitos garantidos.

Acompanharemos de perto o andamento da questão.”

 

Fonte: claudia

Notícias do Brasil e do mundo você encontra aqui. Leia, comente, compartilhe e assista nossos programas. NBO - Um Novo Brasil Online começa aqui.

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Dolphinkids lança segundo EP, “Primavera”

Publicado

em

Dolphinkids por Felipe Max 2

“Primavera” é o novo trabalho do power trio Dolphinkids. A banda de synthpop lança EP inédito com camadas sonoras ousadas, cantando em português e com influências do rock alternativo. O registro está disponível nas principais plataformas de música digital.

Ouça “Primavera”: http://bit.ly/PrimaveraDolphinkids

Após o lançamento do EP “Bluebird” (2016), o Dolphinkids divulga mais um trabalho transformador para a banda. O compacto “Primavera” vem da  ideia de renascimento e é uma reconstrução através do crescimento, como ocorre na passagem das estações do ano. O trabalho surge como uma reestruturação e mudança visível ao decorrer da trajetória do grupo. Em pouco mais de dois anos, o Dolphinkids surgiu, evoluiu e floresceu em um dos nomes mais interessantes da cena indie paulistana.

“Primavera vem necessariamente da fase em que a banda passou durante sua produção e ainda passa, uma mudança de rumo, de visual, de atmosfera, até mesmo de idioma, trocando inglês pro português. O visual do EP, baseado em arte renascentista, também inspirou o nome do disco”, diz João Felipe Irente.

Dolphinkids por Felipe Max 3

De Suzano para o Brasil, a banda vem se adaptando às suas próprias mudanças. A mais aparente é na sua formação oficial, com a adição de Pedro Ponce (baixo e guitarra), tanto nos shows ao vivo quanto nas composições – além dele, João Felipe Irente (pads, controladores e sintetizadores) e Larissa Braga (voz) compõem o trio. As temáticas das músicas estão um pouco mais variadas, a sonoridade está com mais influências de rock alternativo do que o indie pop e as letras mesclam o inglês ao português.

O EP possui seis faixas que misturam influências de grandes nomes do cenário alternativo, recheando cada música com um pouco mais de guitarra, sem deixar de lado as batidas pop. É o caso de “Falling”, música que abre o trabalho e busca como referência os ares mais fúnebres do Nine Inch Nails, enquanto “Innerspring” lembra a sonoridade do primeiro trabalho do Dolphinkids, “Bluebird”. “Karma” é a mais moderna do compacto e lembra canções de queridinhas do indie como Aurora e Melanie Martinez. “Vazio” e “Girassol” são faixas que encorpam o registro com batidas introspectivas, mas ao mesmo tempo, intensas. Quem finaliza o EP é “Violeta”, que traz um ar misterioso e otimista, construído com a linha harmoniosa do piano.

Assista “Falling” no Lavanderia Sessions: https://youtu.be/ibU3YkaQDqs

Assista “Vazio” no Lavanderia Sessions: https://youtu.be/Tt2Y94LxwTM

Dolphinkids é uma banda formada por João Irente (pads, controladores e sintetizadores), Larissa Braga (voz) e Pedro Ponce (baixo e guitarra). Suas canções vibrantes e energéticas entram no cenário brasileiro com uma sonoridade atípica, de guitarras e batidas eletrônicas. Diretamente de Suzano, a banda de indie pop e synthpop voa mais alto com o novo e já prepara a tour nacional do projeto.

Ouça “Primavera”: http://bit.ly/PrimaveraDolphinkids

Dolphinkids por Felipe Max 1

 

“Primavera”

faixa a faixa por Dolphinkids:

 

Falling

Foi a primeira faixa escrita pro EP (mais ou menos em janeiro de 2017). Fala sobre desentendimentos entre o João e a Lari, tanto na sonoridade quanto na letra tem uma influência bem forte de Nine Inch Nails, banda que o João ouviu exaustivamente durante a composição e produção desse EP. O baixo dela já foi criado pensando no Pedro e como ficaria ao vivo.

Innerspring

Tem como objetivo apresentar as guitarras como novo instrumento na banda e também resgatar um pouco da sonoridade do Bluebird (mas muito mais refinada). Tem vários elementos mais orgânicos, atmosféricos. Se tirar a bateria e os vocais, parece uma trilha sonora de algum filme de ficção científica. Na temática, é uma faixa irmã de Seasons, fala sobre o mesmo tema mas num novo contexto: iluminação, libertação espiritual, evolução, florescimento. Essa faixa sofreu muitas alterações, quando já estava pronta decidimos reescrever o refrão, depois mudamos a batida, e regravamos o vocal três vezes, foi a música mais trabalhosa do EP.

Karma

Era pra soar mais simples e pop que o restante do EP. Essa tem influências mais modernas: Melanie Martinez, Aurora. João e Lari compuseram em algumas horas tomando muito vinho. Ela fala… bem, sobre o Karma (?).

Vazio

Nossa primeira música em português foi criada em cima de um poema do João que fala sobre superar a morte de entes queridos. Nessa a banda buscou uma sonoridade mais puxada pro indie rock, sendo composta usando violão e instrumentos acústicos, mas no final o João fez um instrumental mais puxado pro progressive house, que acabou ficando bom. Ao vivo é um destaque, pois muda totalmente com a adição da guitarra (que não existe na versão de estúdio). Foi a primeira música que o Pedro entrou bem fundo no processo de composição.

Girassol

A única música do EP que foi composta por todos os membros da banda juntinhos tocando instrumentos num estúdio, teve o processo mais “humano”. O significado oficial dela é um mistério, ela fala sobre o próprio EP Primavera, fala sobre o processo de criação da música e no refrão fala sobre o antigo EP Bluebird (pode voar…). É a “música tema” do EP.

Violeta

Foi a última a ser composta, é pra soar a menos eletrônica de todo nosso repertório (torcendo pra alguém fazer cover de piano dela). Tem uma sonoridade atmosférica remanescente de Innerspring. Resume e finaliza a “história” do EP – agora o pássaro azul finalmente voou, começou um novo dia e muito mais está para vir. Violeta foi composta mais ou menos do mesmo jeito que fizemos no Bluebird: cada um na sua casa, João fazia o instrumental, Lari mandava a letra e assim por diante.

 

Continue lendo

Entretenimento

Flerte Flamingo confirma show no Portela Café

Publicado

em

Banda Flerte Flamingo – Fotos por Samir Sá (1)

O grupo Flerte Flamingo, novidade na cena musical baiana, vem mostrando seu trabalho através das plataformas digitais e não para de produzir. Agora, além de mostrar seu som através da web, a banda vai ter mais uma oportunidade de se apresentar para o público, na noite de Salvador. O show será no próximo dia 27 de abril, sexta, no Portela Café, no Rio Vermelho, a partir das 22 horas. Na ocasião, também se apresentam as bandas Astralplane e Tangolo Mangos.

Banda Flerte Flamingo – Fotos por Samir Sá (3)

No repertório de seu show, o Flerte Flamingo vai apresentar músicas autorais que estão nos dois EP’s lançados, além de um passeio pelo universo da música brasileira e internacional. Formada por César Neto (baixo), Ravel Marques (bateria), Rodrigo Santos (guitarra), Bernardo Passos (percussionista), e pelo vocalista Leonardo Passovi (também guitarra + composição), a banda já se prepara para o show e promete uma noite de muita música boa!

Continue lendo

Entretenimento

HOJE: Guig Ghetto comanda ensaio no Zen

Publicado

em

Falcão Guig Ghetto-1.jpg

 banda Guig Ghetto, liderada pelo cantor Falcão, segue com a sua agenda de shows recheada e, nesse sábado, feriado, dia 21 de abril, pega a estrada e segue para a cidade de Montalvânia, no interior de Minas Gerais. Por lá, o grupo participa de um grande evento, e promete um astral lá em cima. No repertório, sucessos como “Pressão”, “Calma”, “Quem é que Balança o Povo”, “Arrastão da Guig”, “Passinho da Guig”, além da atual música de trabalho, “Desce sem Vergonha”. Já no domingo, dia 22, a banda retorna a Salvador, para comandar mais uma edição da festa ‘Domingo do Zen’. O projeto promete encerrar o final de semana com chave de ouro. Além de um show bem eclético, com grandes hits do pagode, a Guig promete muito agito!

Serviço:
Domingo do Zen – Guig Ghetto + DJ Rodrigo Fiúza

Domingo, 22 de abril, a partir das 21 horas

Ingressos:

R$ 60,00 (fora da lista) / R$ 40,00 (lista)

Informações e reservas: (071) 3335-3335 / 9 9953-6575 (whatsapp)

Continue lendo
Publicidade HTML tutorial

+Vistos