conecte-se conosco

Esporte

Sem jogar há dois anos, Danilo Rios reencontra o Bahia hoje

Publicado

em

bahia_2401_2

Dez anos depois, Danilo Rios vai reencontrar o gramado da Fonte Nova. Revelado nas categorias de base do Bahia, o meia deixou o Fazendão em 2008 e nunca mais jogou no estádio. Camisa 10 do Jacuipense, ele vai enfrentar o ex-clube nesta quarta-feira (24), às 20h45, pela segunda rodada do Campeonato Baiano.

“Vai ser um momento legal, vai ser bacana. A expectativa é muito grande, confesso que estou ansioso”, diz o jogador. Toda essa ansiedade não é apenas por voltar ao estádio onde viveu as primeiras emoções da carreira, mas também porque é nele que vai recomeçá-la, aos 29 anos.

Danilo pretende encerrar um drama que vive há quase dois anos. Ele rompeu o ligamento cruzado do joelho esquerdo no dia 27 de março de 2016, quando defendia o Rio Branco-PR, e não disputa uma partida oficial desde então.

“Vim fazer a cirurgia em Salvador. Aí, quando já estava negociando com outras equipes, me machuquei de novo, treinando. Tive que fazer outra cirurgia em janeiro de 2017 e passei o ano passado todo me recuperando. Por isso, a expectativa é muito grande para essa volta”, afirma o atleta, que está no Jacuipense desde o dia 14 de dezembro. O único lado positivo da pausa foi poder acompanhar a gravidez da esposa Morgana. A filha Maria Clara nasceu há três meses.

Desde que deixou o Fazendão, o meia enfrentou o Esquadrão duas vezes. Em 2008, quando defendeu o Vitória, e em 2010, quando jogava pelo Duque de Caxias. O clássico Ba-Vi foi disputado no Joia da Princesa, em Feira de Santana, e o confronto com a equipe fluminense aconteceu em São Januário, no Rio de Janeiro.

Danilo nunca pisou no gramado da nova Fonte, mas já conhece a arquibancada. Torcedor tricolor declarado, ele assistiu a três jogos do Bahia no Campeonato Brasileiro do ano passado no meio da galera. Viu de perto o empate com o Fluminense (1×1) e os triunfos contra São Paulo (2×1) e Santos (3×1).

De vez em quando, era reconhecido. “Eu mudei bastante da época que saí do Bahia pra agora, fiquei careca, minha aparência mudou muito, mas sempre tem torcedores que lembram e é muito legal essa relação que tenho com a torcida, que sempre me tratou com muito carinho”, comenta.

Danilo Rios chegou ao Bahia com 11 anos, em 1999, e foi promovido ao profissional em 2006. Meses depois de ser vendido ao Grêmio por R$ 1 milhão, em 2007, ele foi emprestado ao Vitória em 2008.

Defendeu o rival e não se orgulha disso. “Um dos arrependimentos que tenho da minha carreira foi ter jogado no Vitória. Eu tinha acabado de sair do Bahia, foi muito recente, não era o momento, mas eu era muito novo e segui a orientação de quem estava trabalhando comigo. Vim muito por conta da opinião de outras pessoas e não por vontade. Não tenho nada contra o Vitória, mas não era o momento”, avalia.

O meia tem 13 clubes no currículo. Antes de chegar ao Jacuipense, defendeu Atlético-MG, Guarani, São Caetano, Duque de Caxias, Nacional, Fortaleza, Remo, Maringá e Rio Branco, além da dupla Ba-Vi e do Grêmio.

 Não era bem o que ele planejava para a carreira. “Não saiu como eu imaginava. Minha ideia e dos meus empresários era ir para a Europa, mas acabei não tendo muitas oportunidades no Grêmio e as que tive não soube aproveitar. Depois que você é emprestado uma vez, dificilmente volta. Também tive muitas lesões difíceis, que me atrapalharam”, analisa a ex-promessa tricolor.

Independentemente do que aconteceu no passado, Danilo está tentando escrever o futuro. O recomeço será no palco em que ele marcou seu primeiro gol. “Foi contra o Itabuna, em 2006. Eu entrei no segundo tempo, tocaram pra mim, dividi a bola com o zagueiro e toquei no canto”, recorda o meia.

Nesta quarta, ele espera repetir o feito. “Deus prepara as coisas, né? Minha volta já vai ser logo contra o Bahia e na Fonte Nova, o estádio onde mais joguei e tenho momentos marcantes. Espero poder surpreender e fazer um grande campeonato”.

Terá ao lado outros velhos conhecidos da dupla Ba-Vi, como o lateral-esquerdo Ávine, o lateral-direito Paulinho – que jogou no Bahia de 2002 a 2007 antes de fazer carreira no Chipre -, o volante Uelliton e o meia Mauri. Danilo Rios e Paulinho são titulares do time treinado por Jonilson Veloso.

Ávine é um velho amigo do meia. “Temos uma amizade de 15 anos. Jogamos a base toda, subimos para o profissional e vivemos momentos bons e ruins juntos. Infelizmente passamos por dificuldades parecidas por lesão. A gente troca muita ideia, porque é muito difícil voltar. É um prazer estar com ele novamente”, diz Danilo.

Fonte: ibahia

Notícias do Brasil e do mundo você encontra aqui. Leia, comente, compartilhe e assista nossos programas. NBO - Um Novo Brasil Online começa aqui.

Esporte

Diego Aguirre mostra descontentamento com empate do São Paulo em Fortaleza

Publicado

em

Diego-Aguirre-mostra-descontentamento-com-empate-do-São-Paulo-em-Fortaleza.png

[ad_1]

Wilson Baldini Jr.

Depois de criticar a atuação do time na eliminação da Copa do Brasil diante do Atlético Paranaense, no meio de semana, o técnico uruguaio Diego Aguirre voltou a se decepcionar neste domingo, após o empate sem gols do São Paulo contra o Ceará, em Fortaleza, pela segunda rodada do Campeonato Brasileiro.

“Eu esperava um time com maior criatividade, com intensidade para atacar. Tínhamos Cueva, Nenê… Busquei opções, mudei o time pois a intenção é de sempre buscar as vitórias, dentro ou fora de casa. Eu não estou contente com o empate”, afirmou em entrevista coletiva após o jogo, na Arena Castelão.

Mesmo assim, o treinador destacou a participação do estreante Everton no jogo. “Ele teve só um dia de treino com o grupo. Trata-se de um jogador de grande qualidade técnica. Será um reforço espetacular. Precisa de tempo para adquirir a melhor forma e entrosamento com os demais jogadores”.

Questionado sobre o meia-atacante Diego Souza, ausente no jogo desta domingo, Diego Aguirre foi político. “É um patrimônio do São Paulo. Conto com o Diego Souza. Ele faz parte do grupo. Preciso saber qual a intenção do jogador”, afirmou.

[ad_2]

Source link

Continue lendo

Esporte

Presidente da Juazeirense comunica o desligamento do técnico Zaluar

Publicado

em

unnamed

Presidente da Juazeirense, o Deputado Estadual (PDT) Roberto Carlos comunica o desligamento do técnico Zaluar e do preparador físico Carlo Flávio. A decisão foi tomada na tarde desta quinta-feira (19) após uma reunião com o próprio treinador em Juazeiro. Auxiliar técnico fixo do clube, Alcir Silva assume interinamente a equipe para a partida deste domingo diante do ABC, em Natal, pela segunda rodada da Série C.

Roberto Carlos aproveita para agradecer o trabalho de Zaluar, que comandou a equipe em 13 partidas, sendo 11 pelo campeonato Baiano, uma pela Série C e a última delas ontem, no empate em  1×1 com o Salgueiro, pela partida de ida da pré-Copa do Nordeste 2019. “Foi um treinador que ajudou muito a Juazeirense neste período, mas entendemos que era momento de estabelecer uma mudança na equipe. Agradecemos pelo profissionalismo e toda a ajuda que Zaluar nos deu neste período. Vamos buscar um novo treinador e queremos anunciar o mais rápido possível”, destaca o presidente Roberto Carlos.

O próprio presidente comunicou a decisão aos atletas no fim desta tarde no estádio Paulo Coelho, em Petrolina, local de treinamento da equipe na ocasião. O elenco volta a treinar amanhã à tarde, desta vez no Adauto Moraes, e no sábado segue viagem para a capital potiguar.

Continue lendo

Esporte

Bahia está perto de acerto com goleiro do Santos, diz Bellintani

Publicado

em

Bahia-está-perto-de-acerto-com-goleiro-do-Santos-diz-Bellintani.jpg

[ad_1]

O presidente do Bahia, Gustavo Bellintani, revelou na tarde desta quinta-feira, 19, que o clube está próximo de fechar com o goleiro Fernando Castro, de 21 anos, conhecido como Fernando Boca, revelado na base do Santos. O anúncio foi feito durante em entrevista coletiva à imprensa no Fazendão.

“Há procedência de que estamos em fase final de acerto. Ainda não vamos confirmar oficialmente porque falta o contrato ser assinado, mas é um goleiro que vem pra substituir o Rafael, que foi para o Villa Nova”.

Segundo Bellintani, a busca pelo clube é por um goleiro que possa ser integrado no time profissional e no sub-23. “Ele vai exercer uma dupla função. A tendência é que ele seja um atleta que comece no sub-23 como titular e faça também a função de terceiro goleiro do time principal”.

Questionado sobre as possíveis contratações para o Campeonato Brasileiro, o gestor afirmou que, no primeiro trimestre, não foi a chegada de jogadores que resultou na mudança de atitude da equipe.

“A contratação é importante para suprir lacunas específicas(..). Se todo diretor de clube de futebol do Brasil fizer isso, o dinheiro acaba. Não tem condição e você vai fazer uma gestão de curto prazo”.

Gustavo destacou que os 11 jogadores já contratados são para disputar não só as outras competições (Copa do Nordeste, Copa do Brasil e Sul-Americana), mas também o Brasileirão. “Esse time é preparado para toda a temporada. Isso não quer dizer que a gente não olhe para outras oportunidades. Agora, vale dizer que não adianta a gente trazer atletas só para satisafazer a torcida a curto prazo”, disse Bellintani. 

Ainda na coletiva, Bellintani confirmou que o clube esteve próximo de um acerto com o atleta Roni, ex- atacante do Cruzeiro, porém, as negociações foram interrompidas por não conseguir chegar a um denominador com o Abirex Niigata – atual clube que o jogador defende.

http://platform.twitter.com/widgets.js

[ad_2]

Source link

Continue lendo
Publicidade HTML tutorial

+Vistos