conecte-se conosco

Entretenimento

Carnaval RJ: Beija-Flor é a grande campeã de 2018

Publicado

em

beija-flor-20180213-0031

Beija-Flor é a grande campeã do Carnaval do Rio em 2018. Última escola a desfilar pelo Grupo Especial do Rio, a escola fechou o “Carnaval dos protestos” com ativismo do começo ao fim. Com o enredo Monstro É Aquele que Não Sabe Amar – Os Filhos Abandonados da Pátria que os Pariu, a escola propôs um paralelo entre a obra Frankenstein, de Mary Shelley, que está completando dois séculos, e a história do Brasil.

O grêmio de Nilópolis cantou contra a corrupção, a violência, a intolerância religiosa, e outros problemas sociais com participação de estrelas como Pabllo Vittar e Jojo Todynho. O desfile contou com foliões vestidos de vampiro para representar o governo – a Paraíso do Tuiuti, a segunda colocada na classificação geral, associou a figura mitológica ao presidente Michel Temer -, além de ratos e “lobos em pele de cordeiro” no papel de políticos. A escola também reproduziu cenas de violência nas favelas cariocas e as constantes mortes de moradores e policiais

A Beija-Flor abordou temas como desigualdade social, a falta de respeito e a de amor, no segundo dia de desfiles do Carnaval do Rio - 13/02/2018

As seis primeiras colocadas – Beija-Flor, Paraíso do Tuiuti, Salgueiro, Portela, Mangueira e Mocidade Independente de Padre Miguel – voltarão à Marquês de Sapucaí no Sábado das Campeãs, no dia 17. Neste ano, as agremiações rebaixadas para o Grupo de Acesso Série A foram a Império Serrano e a Grande Rio. Confira a classificação geral:

1º Beija-Flor – 269,6

2º Paraíso do Tuiuti – 269,5

3º Salgueiro – 269,5

4º Portela – 269,4

5º Mangueira – 269,3

6º Mocidade Independente de Padre Miguel – 269,3

7º Unidos da Tijuca – 269,1

8º Imperatriz – 268,8

9º Vila Isabel – 268,1

10º União da Ilha – 267,3

11º São Clemente – 266,9

12º Grande Rio – 266,8

13º Império Serrano – 265,6

Paraíso do Tuiuti, a surpresa

A grande surpresa do Carnaval de 2018 acabou ficando por conta da Paraíso do Tuiuti, que no ano passado viu um de seus carros alegóricos causar um grave acidente na Sapucaí e em 2018 foi a vice-campeã. Neste ano, a escola trouxe o enredo Meu Deus, Meu Deus, Está Extinta a Escravidão?, sobre os 130 anos da Lei Áurea. Um trecho da letra dizia: “Não sou escravo de nenhum senhor / Meu Paraíso é meu bastião / Meu Tuiuti o quilombo da favela / É sentinela da libertação”.

Presidente Vampiro da Paraíso do Tuiutí antes do desfile na Marques de Sapucaí – 12/02/2018  (Reprodução/Twitter)

Mas a escola mergulhou mais fundo na questão política e criticou a reforma trabalhista aprovada pelo Congresso. A agremiação ainda ironizou manifestantes que pediram o impeachment de Dilma Rousseff e, no último carro alegórico, apresentou um presidente-vampiro, em uma referência a Michel Temer.

Em 2017, um dos carros alegóricos da Paraíso do Tuiuti perdeu o controle e prensou pessoas em uma grade que separava a avenida da arquibancada. O acidente deixou uma pessoa morta, a radialista Elizabeth Ferreira Joffe, conhecida como Liza Carioca, e cerca de vinte feridos.

Fonte: veja

Notícias do Brasil e do mundo você encontra aqui. Leia, comente, compartilhe e assista nossos programas. NBO - Um Novo Brasil Online começa aqui.

Entretenimento

Mc Loma é chamada de ‘macaca’ no Instagram e rebate a ofensa

Publicado

em

csm_954_0ee9b47898

Dona do hit Envolvimento, MC Loma sofreu ataque racista no Instagram. Após postar uma foto na rede social, foi chamada de ‘macaca’. A ofensa partiu de Day McCarthy, socialite brasileira que mora em Miami. Além disso, Day criticou o sotaque pernambucano da jovem. “Esse sotaque é feio. Essa voz é irritante”. A cantora, porém, não se intimidou. “Sua cara é amassada, nem por isso eu saio comentando e fazendo vídeos de você. E outra, devolve o nariz do Michael Jackson e faz uma plástica, tá?”.

Não é a primeira vez que McCarthy faz ofensas racistas. Ano passado a vítima foi Titi, filha do ator Bruno Gagliasso e da atriz Giovanna Ewbank, que tem apenas dois anos. Em um vídeo, chama a garota de “macaca”, “horrível” e diz que Titi tem “cabelo de pico de palha”. Já Rafaella Justus, filha da apresentadora Ticiane Pinheiro e do empresário Roberto Justus, que tem oito anos, foi chamada de “brinquedo assassino”. A menina tem estenose crânio-facial, uma má-formação óssea.

 

Fonte: correio

Continue lendo

Entretenimento

Descubra o blues do Mississippi de R.L. Boyce no documentário curta “A Two Letter Word”

Publicado

em

RL Boyce – divulgação 5

R.L. Boyce se tornou um novo e empolgante nome do blues em nível mundial – aos 62 anos. “Roll and Tumble”, seu segundo álbum em mais de cinco décadas, o levou de Como, Mississippi, a palcos de destaque como o programa “Later… With Jools Holland”, e à lista de indicados ao Grammy 2018. Agora, é possível conhecer um pouco mais sobre este artista único no documentário curta “A Two Letter Word”.

Assista:

Em pouco mais de três minutos, o espectador descobre as origens de Boyce, a sua simplicidade e visão de mundo, além de se ver imerso nas suas canções impactantes. A gravação aconteceu na The Experimental Station, em Dungeness, Reino Unido.

RL Boyce – divulgação 1

R.L. Boyce nunca toca a mesma música duas vezes. Para este filme, o lendário músico do country hill blues faz uma viagem de um dia para Kent, Inglaterra. Dirigido por Fiona Jane Burgess, o resultado é um retrato íntimo de RL enquanto ensaia sua performance de TV de estréia no programa de Jools Holland, e inclui uma entrevista rara com o músico refletindo sobre sua educação no sul americano na década de 1960, sua relação com a música e sua receita infame para o drink moonshine.

Assista R. L. Boyce no “Later… With Jools Holland”: 

Pouco mais de três meses atrás, R.L. Boyce era conhecido como um artista de blues tradicional com influência do country na pequena cidade de Como. Ele se apresentava na porta de sua casa, fazendo pequenos shows pelo sul do país. Agora ele consegue reconhecimento internacional com seu novo disco “Roll and Tumble”.

Ele raramente saía de sua área para festivais e era conhecido pelas festanças que dava na pequena cidade de 1240 habitantes no sul dos Estados Unidos. RL começou sua carreira como baterista na Rising Star Fife and Drum Band com a lenda do blues Othar Turner, enquanto esperava uma oportunidade para cantar e tocar sua guitarra. Suas músicas são entregues com uma roupagem quase de improviso, com referências aos colaboradores, o ambiente onde foram criadas ou o que está passando pela mente naquele momento.

RL Boyce – divulgação 3

Sua coleção mais recente de canções foi gravada ao longo de dois dias. Tudo realizado no primeiro take de gravação, dando aos ouvintes a oportunidade de presenciar as preciosidades raras que surgem nas festas de quintal naquela parte do país. As gravações foram co-produzidas por David Katznelson e Luther Dickinson (North Mississippi Allstars e Black Crowes). Dickinson surge no disco como músico também.

O álbum foi lançado pelo selo Waxploitation Records.

Assista “A Two Letter Word”: https://youtu.be/uAklH4zBq08

Ficha técnica:RL Boyce – capa

Gravado em locação na The Experimental Station, Dungeness com o apoio de Johnson Naylor.

Dirigido por Fiona Jane Burgess
Diretor de Fotografia: Arthur Loveday
Produzido por Lez Creative
Editado por Fiona Jane Burgess e Joel Spencer
Colorista: Jon Dobson at Wash
Gravação de som: Miles Croft

Ouça “Roll and Tumble”:

Spotify: http://spoti.fi/2sBhquA

Apple Music: https://apple.co/2oaLp7S

RL Boyce no Guardian:

https://www.theguardian.com/music/2017/oct/22/rl-boyce-mississippi-blues-guitarist-roll-and-tumble

RL Boyce no Jools Holland:

https://www.youtube.com/watch?v=m5SqdlrGK5U

Sobre a Waxploitation:

O selo americano completou 20 anos em 2016 com um catálogo que traz nomes como Gnarls Barkley, Danger Mouse, Broken Bells, Rome (com Jack White e Norah Jones) e Dark Night of the Soul (com David Lynch). A gravadora também tem uma longa relação com a música no Brasil, trazendo lançamentos do produtor Leo Justi, do DJ Ruxell e difundindo outros lançamentos de vanguarda nas cenas eletrônica, hip hop, indie e latina.

 

Continue lendo

Entretenimento

Sertanejo Felipe Araújo mostra sua nova música de trabalho para o público de Salvador neste domingo

Publicado

em

Felipe Araújo 2018-1.jpg

Felipe Araújo vai desembarcar em Salvador, neste domingo, dia 25, para sua estreia nos palcos baianos. Na ocasião, o cantor irá apresentar sua nova música de trabalho. Lançada no início de fevereiro, “Se Pegar Cê Chora” é uma composição de Tierry, já está com mais de meio milhão de visualizações no canal do YouTube, e em breve ganhará um clipe. Aliado a isso, o sertanejo continua na divulgação do seu primeiro DVD, gravado em Goiânia, intitulado “1 dois 3”, que contou com as participações de grandes artistas como: Jorge e Mateus, Zezé di Camargo e Luciano, Leonardo e o próprio pai, João Reis. Felipe Araújo segue trabalhando também a música “Amor Da Sua Cama”, primeira faixa do DVD, uma composição do próprio cantor, junto com os parceiros Thales Lessa e Waléria Leão. A apresentação em Salvador, será neste domingo, na Área Verde do Othon, a partir das 15 horas. Para a festa “Amigos do Araújo” – farão participação Thiago Brava (dono do hit “Dona Maria”), Pedrinho Pegação, Ranniery e a dupla Breno e Caio César. Quem também se apresenta, com show inteiro, na ocasião, são as bandas Papazoni e Forró do Tico.

Serviço:
Amigos do Araújo – Felipe Araújo com Part. Thiago Brava, Pedrinho Pegação, Ranniery e Breno e Caio César
+ Papazoni + Forró do Tico

Área Verde do Othon, Ondina, Domingo, 25/02/2018, a partir das 15 horas

Ingressos:

Pista: R$ 50 (meia) / R$ 100 (inteira)

Área Vip: R$ 80 (meia) / R$ 160 (inteira)

Vendas: https://ingressos.safeticket.com.br/evento/ver/2482/amigos_do_araujo.html

Informações: (71) 3022-6642

Continue lendo
Publicidade

+Vistos