conecte-se conosco

Notícias

Os diferentes caminhos dos filhos de Fidel Castro

Publicado

em

filhos fidel castro

A surpreendente morte de Fidel Castro Díaz-Balart, ‘Fidelito’, filho mais velho de Fidel Castro, que se suicidou após meses de tratamento de uma depressão, traz à tona os destinos díspares dos filhos do pai da Revolução Cubana – morto em 2016 –, que ao longo de sua vida se casou duas vezes e teve pelo menos outros seis filhos, mas são numerosas as conquistas e descendências atribuídas a ele.

Fidel Ángel Castro Díaz-Balart, primogênito e físico nuclear

Castro Díaz-Balart, nascido em 1 de setembro de 1949, em Havana, foi o único filho de Fidel Castro com sua primeira esposa, Mirta Díaz-Balart, uma jovem de uma família abastada de Havana, de quem se divorciou em 1955. Foi quando começou a disputa pela custódia do pequeno Fidel. Mirta levou o menino aos Estados Unidos, mas Castro não queria que seu filho tivesse contato com a família materna. Seu cunhado Rafael Díaz-Balart era funcionário do Governo de Fulgencio Batista (derrubado pelos Castro em 1959), cujos filhos Mario e Lincoln chegaram a ser congressistas e representaram a dissidência cubana.

Por fim, Castro obteve a custódia do pequeno Fidel e sua mãe refez sua vida na Espanha. A relação entre pai e filho, entretanto, nem sempre foi boa. Fidelito, doutor em Ciências, ocupou o cargo de executivo-chefe da Comissão de Assuntos Nucleares de 1983 a 1992, quando foi destituído por seu pai que o acusou de não ter sido eficiente no exercício de suas funções. Durante sua vida publicou vários livros e, mesmo sem ter tanta presença como alguns dos filhos de Raúl Castro, era atualmente assessor científico do Conselho de Estado e vice-presidente da Academia de Ciências de Cuba.

Alina Fernández, a filha rebelde

Das numerosas relações extraconjugais atribuídas a Fidel Castro, a mais conhecida é a que manteve com Natalia Revuelta, uma mulher casada que defendeu a Revolução. Alina Fernández, fruto dessa relação, nasceu em 1956 e, segundo suas palavras, nunca considerou Castro um parente, mas alguém que ocupava um cargo político.

Casada com Francisco Salgado, um bailarino do Ballet Nacional de Cuba discípulo de Alicia Alonso, com quem teve uma filha, Fernández fugiu de Cuba em 1993 utilizando um passaporte espanhol e disfarçada para não ser reconhecida. Tinha à época 37 anos e viajou a Madri para voar depois aos Estados Unidos, onde lhe concederam asilo político. “Não posso amá-lo; há muita gente maltratada por ele. E, além disso, o carinho é hábito e eu quase não tive contato com ele”, disse em entrevistas posteriores.

Alexis Castro Soto del Valle, engenheiro

Do segundo casamento de Fidel Castro com a professora Dalia Soto del Valle, a quem conheceu na década de 60, nasceram cinco filhos que receberam nomes que começavam com a letra A (por sua admiração a Alexandre Magno): Alexis, Alexander, Alejandro, Antonio e Ángel.

O primeiro desse casamento, nascido em 1962, é engenheiro de telecomunicações, mas nenhum seguiu o caminho político de seu pai. Alguns ocuparam cargos em instituições públicas.

Alexander Castro Soto del Valle, engenheiro e fotógrafo de seu pai

É provavelmente o filho mais multifacetado. Nascido em 1963 em Havana, se formou em Tecnologia da Indústria Eletroquímica em Moscou, mas a partir de 1998 trabalhou como operador de câmera na televisão estatal e foi fotógrafo para a imprensa oficial. Alexis documentou alguns dos encontros de Fidel Castro nos últimos anos de sua vida e recentemente realizou uma exposição em homenagem a seu pai em Santiago de Cuba.

Antonio Castro Soto del Valle, médico da seleção de beisebol

Ele está associado especialmente ao esporte nacional. Formado em medicina com especialidade em ortopedia, prestou serviços à seleção nacional de beisebol e ocupou cargos de direção nas confederações nacionais e na internacional de Beisebol (IBAF).

Nascido em 1969, foi criticado por seu empenho em promover o golfe em Cuba, um esporte que foi desprezado por seu pai que o considerava um símbolo da burguesia e que ridicularizou parodiando uma partida com Ernesto Che Guevara, ambos vestidos de uniforme militar, que ficou imortalizada em uma fotografia de Alberto Korda em 1961.

Seus irmãos Alejandro (1971), programador de computadores, e Ángel (1974), o caçula, cuja profissão não é conhecida, tiveram um perfil público menos notável.

Filhos não reconhecidos

Além de Alina Fernández, também foram atribuídos a Fidel Castro outros filhos que nunca reconheceu. De acordo com a biografia de Claudia Furiati, o líder da Revolução Cubana teve uma relação extraconjugal com María Laborde, uma admiradora que conheceu quando saiu da prisão, da qual nasceu Jorge Ángel (1956). E a jornalista Ann Louise Bardach em seu livro Without Fidel (Sem Fidel, 2009) menciona outra filha secreta: Francisca Pupo.

 

Fonte: elpaís

Notícias do Brasil e do mundo você encontra aqui. Leia, comente, compartilhe e assista nossos programas. NBO - Um Novo Brasil Online começa aqui.

Notícias

Gilmar Mendes e Marco Aurélio votam favoráveis ao recurso de Maluf

Publicado

em

Gilmar-Mendes-e-Marco-Aurélio-votam-favoráveis-ao-recurso-de-Maluf.jpg

[ad_1]

Em sessão plenária desta quinta-feira, 19, do Supremo Tribunal Federal (STF), os ministros Gilmar Mendes e Marco Aurélio Mello votaram favoráveis ao recurso do deputado afastado Paulo Maluf (PP-SP). Até o momento, são cinco votos favoráveis e quatro contrários ao parlamentar, cujo recurso começou a ser julgado nesta quarta-feira, 18, pelo colegiado. Faltam os votos de Celso de Mello e Cármen Lúcia.

O parlamentar recorreu da condenação imposta pela Primeira Turma do STF em maio do ano passado. Na época, a Turma do STF condenou Maluf a 7 anos, 9 meses e 10 dias de prisão em regime fechado pelo crime de lavagem de dinheiro. A Corte julga se, antes da prisão do deputado, ele teria direito a ter os embargos infringentes contra sua condenação analisados.

Relator da ação penal de Maluf, o ministro Edson Fachin, em dezembro, negou de forma individual estes embargos e determinou que Maluf começasse a cumprir a pena. Primeiro a votar na sessão desta quinta-feira, Gilmar seguiu a divergência apresentada ontem pelo ministro Dias Toffoli, de que só é necessário um voto divergente em julgamento condenatório para que a defesa possa apresentar o recurso de embargos infringentes. Na sessão de quarta, Toffoli também foi acompanhado por Alexandre de Moraes e Ricardo Lewandowski.

No julgamento da Primeira Turma da ação penal de Maluf, o ministro Marco Aurélio Mello entendeu que havia prescrição no caso, reconhecendo a inexistência do direito de punir. Foi voto vencido nesse aspecto. A defesa do parlamentar ressalta essa divergência pontual para defender a possibilidade de embargos infringentes. Gilmar, junto de Toffoli, Moraes e Lewandowski acolherem essa argumentação.

Gilmar ainda enfrentou a tese apresentada ontem pelo ministro Luís Roberto Barroso, de que são necessários dois votos divergentes para acolhimento dos embargos. “Regra de três não está afinada com o texto regimental. Faz sentido lógico exigir quórum, menos nas turmas”, disse Gilmar.

Para Barroso, como em julgamentos de ações penais no plenário o regimento prevê quatro votos divergentes dentro 10 para cabimento dos embargos, na turma, por uma regra matemática, seriam necessários dois votos dentro de cinco – as turmas são compostas por cinco ministros. “É que faz sentido lógico exigir quórum menor nas turmas. No plenário, o embargo é mais uma súplica do que um recurso. Na turma, é um recurso a merecer prestígio maior”, completou o ministro. Em seguida, Marco Aurélio Mello, em voto favorável a Maluf, seguiu a mesma tese. “Não posso cogitar da possibilidade de ter-se 2 votos vencidos.”

Os 11 ministros ainda não começaram a votar sobre o habeas corpus de Maluf. O parlamentar aguarda o referendo do colegiado sobre a decisão do ministro Dias Toffoli que autorizou sua transferência do Complexo Penitenciário da Papuda para prisão domiciliar, em 28 de março.

[ad_2]

Source link

Continue lendo

Notícias

Tribunal da Lava Jato nega recurso de Dirceu

Publicado

em

Tribunal-da-Lava-Jato-nega-recurso-de-Dirceu.jpg

[ad_1]

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) rejeitou embargos infringentes do ex-ministro José Dirceu contra decisão que o condenou a 30 anos e 9 meses na Operação Lava Jato. O petista foi preso no dia 3 de agosto de 2015. Em maio do ano passado, foi solto por decisão do Supremo Tribunal Federal (STF). Com a decisão do TRF-4, ele fica mais próximo de retornar à prisão, desta vez, para execução de sua pena.

Contra o acórdão dos infringentes, ainda cabem embargos de declaração. Cabe ao Tribunal proceder pela intimação eletrônica das defesas, que teriam até 10 dias para tomar ciência. Após intimados, os advogados têm mais dois dias para interpor os embargos de declaração. Segundo informações do TRF-4, os prazos penais contam em dias corridos, com o critério de que devem se iniciar e terminar em dia útil.

Em primeira instância, Zé Dirceu havia sido condenado a 20 anos e dez meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro. O petista é acusado de receber propinas da Engevix que teriam sido operacionalizadas pelo lobista Milton Pascowitch.

Pascowitch, que era operador em nome da Engevix, e teria virado uma espécie de contador das propinas de Dirceu, declarou em uma de suas delações que o repasse de valores ao ex-ministro e ao núcleo político “era prioridade por parte dos operadores financeiros”.

[ad_2]

Source link

Continue lendo

Notícias

Colisão entre carro e moto deixa um ferido no bairro do Stiep

Publicado

em

Houve somente uma vítima ferida que foi socorrida no local - Foto: Davi Fonseca

[ad_1]

Uma colisão envolvendo carro e moto deixou um ferido na noite de quinta-feira, 19, no bairro do Stiep, em Salvador. O acidente aconteceu por volta das 18h.

Segundo Superintendência de Trânsito de Salvador (Transalvador), o condutor da motocicleta foi socorrido no local. Os veículos já foram retirados da via e o tráfego flui normalmente.

[ad_2]

Source link

Continue lendo
Publicidade HTML tutorial

+Vistos