conecte-se conosco

Entretenimento

Área de Manutenção e Serviços Offshore da Ocyan completa 20 anos

Publicado

on


A área de Manutenção e Serviços Offshore (MSO) da Ocyan, cuja base de operações e apoio logístico fica em Macaé (RJ), completa 20 anos de atuação. Atualmente, a unidade de negócio conta com cerca de 300 integrantes e uma base estratégica, a sete quilômetros do porto de Macaé e a 15 quilômetros do aeroporto da cidade, com capacidade para atender toda a Bacia de Campos e demais regiões.

“Nosso escopo é muito amplo e nossa proposta sempre foi oferecer serviços integrados a toda a cadeia de manutenção offshore. Planejamos as demandas e as paradas de produção dos nossos clientes e gerenciamos diversos serviços. É este portfólio que garante nossa longevidade no mercado”, destaca Vinicius Castilho, diretor de contratos da área de Manutenção e Serviços Offshore da Ocyan. Ele lembra, inclusive, que a redução das operações na cadeia de petróleo e a antecipação do cronograma de hibernação de plataformas pela Petrobras, em função da queda de demanda da commodity no cenário da pandemia do novo Coronavírus e da baixa histórica no valor do barril, abre uma oportunidade potencial no setor para um dos serviços oferecidos pela Ocyan em seu portfólio, o de preservação de ativos.

“A estratégia para o próximo triênio é fortalecer nossas relações comerciais e conquistar novos contratos. É inovar e pensar diferente o mesmo negócio”, explica Castilho.

A área de MSO conta com um portfólio diverso de atividades, entre elas, o planejamento integrado de serviços; o planejamento e execução de paradas em unidades de produção e perfuração; soluções em reparos, manutenção, montagem de projetos (soldagem, caldeiraria, tubulação e elétrica/instrumentação); pintura industrial e de alta performance; engenharia de acesso e serviços especiais em acesso por corda; além de soluções de fabricação de estruturas e tubulações customizadas; serviços especiais de inspeção; serviços de preservação e de comissionamento.

A prestação de serviços da MSO se diferencia por oferecer uma equipe própria de engenharia com conhecimento técnico em todas as áreas do negócio de O&G para atender, sob demanda, necessidades em manutenção e serviços especializados para toda a indústria no Brasil.

A área de MSO da Ocyan é a primeira do setor a realizar a preservação de equipamentos e estruturas para o mercado offshore com o ativo em operação. O serviço foi implantado em 2018 inspirado no que já ocorre hoje no segmento petroquímico. Desde então, acumula mais de três mil equipamentos preservados, e vem reduzindo consideravelmente os custos operacionais de manutenção e melhorando o desempenho operacional dos equipamentos.

No início do ano passado, a Ocyan firmou um acordo com a empresa canadense Tube-Mac para oferecer uma nova tecnologia aos players do mercado de óleo e gás e petroquímico no Brasil. Esta tecnologia propicia a instalação e montagem de tubulações utilizando conexões sem solda, à frio, chamadas de Pyplok®, com baixo custo de instalação, menor hora/homem trabalhada, sistema livre de vazamentos, maior durabilidade, fácil instalação, não requerendo inspeções adicionais por Ensaios Não Destrutivos, utilizando tecnologia a frio de forma segura e confiável. Esta iniciativa está totalmente alinhada com a estratégia da Ocyan de trazer ao país soluções tecnológicas que podem ser aplicadas no setor e já são largamente utilizadas fora do Brasil, por meio de parcerias com empresas estrangeiras que ainda não atuam localmente.

Nosso negócio em Números

 

A unidade de negócios de Manutenção e Serviços Offshore da Ocyan acumula larga experiência que pode ser traduzida em números. Desde o ano de 2000 até o momento soma mais de 30 contratos performados, 1 milhão de horas de engenharia, mais de 120 paradas de produção e perfuração, mais de 10 mil toneladas de tubulações e estruturas montadas a bordo das instalações em alto mar, mais de 1 milhão de metros quadrados pintados e 14 milhões de metros de andaimes montados, além de contarmos com quase 80 milhões de homens hora trabalhados com o mais alto nível de segurança e qualidade do mercado. “Contamos com um recorde de cerca de 20 milhões de homens hora trabalhados sem acidente com afastamento”, afirma Castilho.

 

Sustentabilidade

Na Ocyan, a segurança é nosso maior valor. A atuação da unidade de negócio de manutenção e serviços offshore, assim, como toda a empresa em desenvolvimento sustentável implica ir além do dever de cumprir as leis e determinações que regulam as atividades. Para a empresa, significa compreender as tendências e prioridades da sociedade e atender às convenções e compromissos globais aplicáveis em cada local de atuação, além de também assegurar a adequada gestão dos Riscos Socioambientais referentes às operações.

“A segurança dos colaboradores é uma questão de suma importância para a empresa.  Realizamos várias campanhas de conscientização com os integrantes, envolvendo todos os setores em que atuamos, além dos treinamentos variados e cumprimento dos nossos procedimentos. Como resultado de nosso compromisso, completamos o primeiro trimestre deste ano sem a ocorrência de nenhum acidente registrável com integrantes Onshore e Offshore”, conclui o executivo

Além disso, a unidade de manutenção e serviços offshore possui um robusto sistema de gestão que permite garantir aos Clientes Segurança, Qualidade e Produtividade. A área possui as certificações ISO 9001:2015, ISO 14001:2015 e OHASAS 18001:2007, além das associações com entidades internacionais, tais como: DROPS e IRATA.

A Ocyan registrou no ano passado a melhor taxa de segurança da história da empresa, com 0,58 de Taxa de Frequência de Incidentes Registráveis, que equivale a 0,58 incidentes para cada 1 milhão de homem-hora trabalhados.

 

Sobre a Ocyan

A Ocyan é uma empresa com atitude sustentável e conhecimento para prover soluções para a indústria de óleo e gás upstream offshore no Brasil e no exterior. Seus principais valores são a segurança dos integrantes e da operação, a parceria de confiança com os clientes, e o compromisso com a ética e a transparência. A companhia encoraja a diversidade e inclusão dentro e fora da empresa. Mais informações: www.ocyan-sa.com



Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Francisco, el Hombre retorna às raízes com a chegada de “CASA FRANCISCO”, seu terceiro disco de estúdio

Publicado

on


“Hay que perderse para encontrarse”, passagem de um dos poemas do autor uruguaio Eduardo Galeano, é a síntese dos processos que desencadearam em “CASA FRANCISCO”, terceiro álbum da Francisco, el Hombre. Ressignificando o tom negativo de perda, os integrantes buscaram se perder em novas sonoridades e projetos-solo para que, assim, pudessem se reencontrar como um organismo-banda.

“Entendemos que estávamos a fim de fazer um disco em que não reinventássemos a roda: viemos ser Francisco, el Hombre”, compreende Mateo Piracés-Ugarte, que integra o grupo ao lado de LAZÚLI, Sebastianismos, Andrei Kozyreff e Helena Papini. É dessa forma, livre de ansiedades e frustrações individuais, que a banda compõe o disco “CASA FRANCISCO”, que chega às plataformas digitais nesta quinta-feira, 21 de outubro. Definido pelo quinteto como o álbum “mais Francisco, el Hombre de todos”, o trabalho lista as participações especiais da cantora paraense Dona Onete, o carioca Rubel, os catalães da La Pegatina, a artista baiana Josyara e a paulistana Céu.

Sem o anseio em colocar tudo o que estava entalado na garganta em um mesmo álbum, o grupo ampliou a lupa para o que realmente importa: “Foi crucial que cada um também desenvolvesse sua carreira solo ou paralelas, tendo mais válvulas de escape criativo para focarmos mais no que nos une e menos no que nos diferencia”, explica Mateo. LAZÚLI completa: “termos vivenciado outras paradas musicais, decantou qualquer ansiedade de cada ego querer botar tudo para fora no mesmo disco, abrindo espaço para estarmos a serviço da música e do que este momento, como banda, nos pede”. Assim, os processos foram tomando forma, de modo mais maduro, sendo diluídos em algumas “Casas Francisco”, imersões que acabaram por intitular o disco.

Ao longo de 10 faixas, o quinteto se reconectou com as suas raízes latinoamericanas. “Elas nunca saíram de nós, é que, agora, com maior consciência, corporalidade e organicidade, estamos honrando-as com mais naturalidade”, conta LAZÚLI. Este pilar de reconexão esbarra em “Loucura”, faixa que abre o trabalho como um “chamado para um salto de coragem”, como interpreta a vocalista. A canção ainda se desdobrou em “Pele Velha”, um interlúdio de “Loucura” que, originalmente, seguiria ao final da tracklist, mas acabou dando lugar a “Nada Conterá a Primavera”, o primeiro single já lançado.

Em “Arbolito”, o reencontro com as raízes se fortalece ao passo que marca a primeira composição de LAZÚLI na língua castelhana. “Ela veio como um chamado de aterramento, para espelhar-se nas árvores e na potência que cada ramificação tem, até porque a força e leveza que vem de se conectar com a terra e com o céu, se tem apenas existindo e confiando na vida”, conclui a artista. Entregues aos sentidos, o grupo canta sobre o coração por meio de “Coração Acorda”, ao lado da baiana Josyara, e da divertida lovesong “Ocê”, uma homenagem à companheira do guitarrista Andrei Kozyreff.

Com produções assinadas a muitas mãos, temáticas intrínsecas, como a vida e a morte, marcaram presença no trabalho em “Se Não Fosse Por Ontem”, uma ode à vida com a participação do cantor Rubel. Já como um contraponto, em “Solo Muere El Que Se Olvida”, o grupo trata a morte sob uma perspectiva influente na cultura mexicana. Inspirada pelo “Dia de Los Muertos”, a faixa mostra a transnacionalidade da Francisco, el Hombre e traz a presença da banda catalã La Pegatina.

Por fim, a fusão de sensações e referências que o disco propõe, que vão dos chilenos do Chico Trujillo aos pernambucanos da Academia da Berlinda, também vai desde de abstrações, como o desapego cantado em “Arrasta”, faixa que traz a participação da cantora Céu, a momentos concretos que integram a rotina, como correr para recolher a roupa do varal quando a chuva forte chega, inspiração para “Olha a Chuva”, com a voz de Dona Onete.

“Em ‘CASA FRANCISCO’, fizemos construções de canções como se estivéssemos no nosso show, cantando em coro e fazendo aquela união de musicalidades latinoamericanas como se elas fossem todas de um gênero musical só”, resume Mateo sobre o projeto realizado com o apoio do 4º Edital de Apoio à Criação Artística – Linguagem Música – Secretaria Municipal de Cultura.

O novo álbum da Francisco, el Hombre, “CASA FRANCISCO”, está disponível nas plataformas digitais via ONErpm.

Ouça “CASA FRANCISCO



Continue lendo

Entretenimento

CL lança performance com faixas de seu álbum de estreia solo “ALPHA”

Publicado

on


A lenda da k-pop CL divulga uma performance com quatro faixas de seu recém-lançado primeiro álbum solo “ALPHA”. Unindo pop e hip hop, o trabalho dá destaque à mulher poderosa que a artista apresenta dentro e fora dos palcos e com a força de ícone fashion. Essa força visual surge na apresentação que reúne “Spicy”, “Lover Like Me”,  “Tie a Cherry” e “Let It”.

Confira a performance do álbum: https://youtu.be/vOHaKPf0ce4

Ouça “ALPHA”: https://orcd.co/clalpha

CL é o nome artístico de Lee Chae-lin. Ela estourou mundialmente com o 2NE1, que se tornou um dos maiores nomes do pop coreano da história. Desde o fim do grupo em 2016, CL tem colaborado e se apresentado com artistas de diferentes gêneros, como Black Eyed Peas, Skrillex e Diplo. Conhecida por sua união de pop e hip hop, ela se tornou referência para grupos que moldam o k-pop, como o BLACKPINK e aespa, e que ditam novos rumos para o pop ocidental, como Lorde e Grimes.

Assista ao clipe de “Tie a Cherry”: https://youtu.be/LrYwqmlSAK0

Assista ao clipe de “Lover Like Me”: https://youtu.be/qoqA-th1ZPE

Assista ao clipe de “Spicy”: https://youtu.be/QMwJtMJLXE0

Assista ao clipe de “HWA”:  https://youtu.be/_6_DE4SIq44

Assista ao clipe de “ 5 Star”:  https://youtu.be/JeGhUESd_1o

Após uma série de singles, CL finalmente retorna com um álbum completo. “ALPHA” é uma declaração de posicionamento artístico e estético para mostrar que ainda tem muito a surpreender o público. O álbum está disponível para streaming.

Ouça “ALPHA”: https://orcd.co/clalpha

Assista ao clipe de “Tie a Cherry”: https://youtu.be/LrYwqmlSAK0

 

Tracklist:

1. Spicy

2. Lover Like Me

3. Chuck

4. Xai

5. Let It

6. Tie a Cherry

7. Paradise

8. My Way

9. Siren

10. HWA

11. 5 Star

Siga CL:

https://www.chaelincl.com/



Continue lendo

Entretenimento

Ricardo Chaves será homenageado por Alexandre Peixe no Axezin deste sábado (23)

Publicado

on


Uma das marcas do Axezin é homenagear grandes nomes da música baiana. Personalidades que fizeram e continuam a fazer história e contribuir para que o Axé siga sendo disseminado para os quatro cantos do mundo. E neste sábado, 23, a partir das 17 horas, no Clube Espanhol, o cantor Alexandre Peixe, anfitrião do evento, prestará sua homenagem a Ricardo Chaves, que estará por lá para um dueto inesquecível.

Além de ser considerado o melhor puxador de blocos de trio do país, Ricardo Chaves traz em sua bagagem 39 anos de Carnaval – distribuídos pelos blocos Pinel, Crocodilo e O Bicho – 19 álbuns e 2 DVDs, além de ter deixado sua marca registrada em diversas festas e micaretas (principalmente no Carnatal, no RN, onde até hoje segue sendo preferência do público). Além da carreira solo e das bandas pelas quais passou, incluindo o EVA e o Alavontê, Ricardo integra hoje o movimento musical Mudei de Nome. Sua carreira se confunde com a história do “Axé Music” e Ricardo Chaves segue fazendo a alegria de milhares de pessoas de várias gerações e sendo trilha sonora de momentos especiais na vida das pessoas. Inclusive com sua nova música de trabalho “Vem Pra Cá”, recém lançada. Muita gente não sabe, mas Ricardo também foi o primeiro a gravar uma composição de Peixe.

Além da homenagem a Ricardo Chaves, no repertório de Alexandre Peixe também estarão clássicos que marcam a história da música baiana – inclusive composições próprias – e canções de sua carreira. O “Axezin” deste sábado, 23 de outubro, será no Heliponto do Clube Espanhol, em Ondina e seguirá todos os protocolos contra a disseminação da covid19. Só pessoas já imunizadas poderão acessar a festa.

Serviço:

Axezin – Homenageando Ricardo Chaves

Shows de Alexandre Peixe, Dj Papau e Fanfarra do Gravata Doida

Heliponto do Clube Espanhol, Ondina

Sábado, 23/10/2021, a partir das 17 horas

Valor: R$ 150 / 3ª LOTE – INGRESSOS LIMITADOS!!

Vendas: https://www.sympla.com.br/axezin__1370255



Continue lendo

Mais Vistos