conecte-se conosco

Notícias

Nova praça Marechal Deodoro reforça revitalização do Centro Histórico – Portal RBN

Publicado

on


Mais bonita, moderna e que deverá ser bastante aproveitada pela população, principalmente no período pós-pandemia de Covid-19, além de voltar a ser um dos pontos de visitação na região do Centro Histórico de Salvador. Após obras de revitalização realizadas pela Prefeitura, a Praça Marechal Deodoro, no Comércio, foi entregue nesta segunda-feira (6) com as presenças do prefeito ACM Neto e do vice, Bruno Reis; do titular da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Obras Públicas (Seinfra), Luciano Sandes; e da presidente da Fundação Mário Leal Ferreira (FMLF), Tânia Scofield, além da imprensa.

O projeto de requalificação é de responsabilidade da FMLF e promoveu melhorias em toda infraestrutura e entorno da praça. As obras foram executadas pela Seinfra, por meio da Superintendência de Obras Públicas (Sucop). O equipamento recebeu intervenções na pavimentação, acessibilidade, estacionamento, pontos de ônibus, mobiliário urbano, paisagismo, restauração de monumentos históricos e construção de quiosques para literatura de cordel e comércio de coco e acarajé.

A intervenção vai da Avenida Jequitaia, passando pela Travessa do Cais do Ouro e Rua Torquato Bahia. Ao todo, os 23.250 m² de área requalificada receberam investimentos públicos municipais de, aproximadamente, R$ 5,2 milhões. As melhorias somam-se a tantas outras e integram o programa Salvador 360, que possui como um dos oito eixos justamente a revitalização da região que é o coração histórico e cultural da capital baiana.

O prefeito ressaltou a transformação da praça após intervenção municipal. “Essa é uma obra que mudou inteiramente a cara da Praça Marechal Deodoro, que é a maior de todo o Centro Histórico e uma das maiores da cidade. Aqui estava tudo destruído, até as baias de ônibus estavam em um péssimo estado, os ambulantes se amontoavam de qualquer jeito. Agora, o ponto de ônibus virou praticamente um terminal, foi feito todo um trabalho de paisagismo, acessibilidade e ordenamento dos ambulantes.”

Ele ainda fez questão de destacar que os recursos foram fruto de financiamento junto à Caixa Econômica. Ou seja, nenhum centavo precisou ser retirado do montante destinado ao enfrentamento à Covid-19 na cidade.

“Tudo pensado com o maior capricho nesse conjunto de investimentos bem amplo que estamos fazendo aqui na região em equipamentos, infraestrutura urbana e ações de valorização. Isso será deixado como um legado para a cidade e com importância reforçada depois da pandemia, no pensamento de como retomar a economia de Salvador, e esses investimentos são muito importantes nesse contexto”, completou ACM Neto.

Melhorias – Entre as intervenções está a restauração do Monumento das Nações, mais conhecido como “Monumento das Mãozinhas”. Também foram feitas a implantação de mobiliários urbanos (bancos e lixeiras) e ações de acessibilidade, incluindo construção de pista tátil direcional e de alerta e rampas.

As melhorias englobaram, ainda, troca da iluminação, implantação de faixa de pedestres, novas calçadas com pavimentação adequada, baia na parada de ônibus, ordenamento dos estacionamentos de veículos, guarda-corpo e balizadores. Ações de paisagismo e organização do comércio formal e informal para facilitar a circulação de pedestres completam a intervenção.

Mais ações – Em breve, mais três importantes equipamentos serão entregues completamente requalificados pela Prefeitura na região do Centro Histórico. Um deles é a Praça Cairu, situada entre dois grandes cartões-postais da cidade: o Elevador Lacerda e o Mercado Modelo, com obras praticamente finalizadas. Além disso, também estão bastante avançadas as intervenções na nova Avenida Sete e Praça Castro Alves, assim como a implantação do Polo de Economia Criativa, no Comércio.

Também passam por revitalização os arcos da Ladeira da Montanha; as muralhas do frontispício da cidade, entre a Praça Castro Alves e a Ladeira da Misericórdia; o Elevador do Taboão, no Comércio; a Rua Cônego Pereira, na Baixa de Quintas; e o Mercado São Miguel, na Baixa dos Sapateiros. Estão em processo a transferência de 80% dos órgãos públicos para o Comércio e o incentivo à ocupação habitacional do bairro.

As ações se somam a outras já realizadas, como a recuperação das praças da Sé e Terreiro de Jesus, além da implantação do Quadrilátero das Artes (Barroquinha) e da Casa do Carnaval, no frontispício da Sé. Os investimentos do Salvador 360 no Centro Histórico superam a casa dos R$300 milhões.

Fotos: Max Haack/Secom



Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Bahia

Acervo da Uerj ganha dois fósseis de nova espécie de crocodiliformes

Publicado

on


O acervo da Faculdade de Formação de Professores da Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ), que fica em São Gonçalo, Região Metropolitana do Rio de Janeiro, foi ampliado com a chegada de dois fósseis de uma nova espécie de crocodiliformes.

Os esqueletos foram encontrados em um projeto desenvolvido por pesquisadores da universidade em parceria com outros colegas do Museu Nacional, que pertence à Universidade Federal do Rio de Janeiro (MN/UFRJ) e das universidades Federal do Acre e Federal Rural de Pernambuco, que publicaram a descoberta na revista científica Anais da Academia Brasileira de Ciências, na quarta-feira (16).

“Em um volume especial de homenagem ao paleontólogo muito importante no Brasil, professor Diógenes de Almeida Campos, da CPRM, hoje Agência Nacional de Mineração e de comemoração dos 105 anos da Academia Brasileira de Ciências”, afirmou à Agência Brasil, o geólogo Felipe Medeiros graduado pela UFRJ e pesquisador associado do laboratório da Universidade Federal Rural de Pernambuco, que também participou do estudo.

Os achados no município de Álvares Machado, no sudoeste de São Paulo, incluem dentes, ossos do crânio e pós-crânio provenientes das rochas da Formação Araçatuba (Grupo Bauru). Os esqueletos, que estavam perto um do outro, pertencem à idade geológica conhecida como Turoniano, que varia entre 93 milhões a 89 milhões de anos.

Identificação

A nova espécie foi batizada de Coronelsuchus civali. O primeiro nome significa “crocodilo de Coronel”, em uma referência ao distrito de Coronel Goulart do município de Álvares Machado, onde foi coletado. A civali é uma homenagem ao dono da propriedade onde os fósseis foram encontrados, que se chama Cival.

Na avaliação dos pesquisadores, o animal tido como uma “forma mais primitiva” da família Sphagesauria do grupo Notosuchia, viveu às margens de um lago imenso e raso, também habitado por moluscos, peixes, tartarugas e crocodilos de outras famílias. “Havia um complexo de lagos na região perto de Presidente Prudente e de Marcondes e outras formações mais novas como a de Adamantina que representam ambientes pretéritos fluviais. Domínio de rios que desaguavam em lagos que as rochas nos indicam e damos o nome de Formação Araçatuba”, contou em entrevista à Agência Brasil, o geólogo e paleontólogo da UERJ, André Pinheiro, que coordenou o estudo.

Segundo André Pinheiro, o espécime encontrado tem diferenças na dentição e podia se alimentar de carcaças, de insetos, moluscos, ovos de tartarugas e até consumir vegetais. Outra característica é que era mais ereto e se movimentava com maior distância do chão, da que se verifica nos crocodilos que conhecemos atualmente.

Para os pesquisadores, os achados ajudam a compreender as relações de parentesco entre várias espécies de crocodilos fósseis da era Mesozoica do período de tempo geológico Cretáceo Superior, que corresponde a 145 milhões a 65 milhões de anos, de alguns estados brasileiros. “A era Mesozóica tem três grandes períodos: o triássico, mais antigo; o jurássico e o cretáceo que tem várias épocas dentro dele”, explicou Felipe Medeiros.

Com a espécie inédita foi possível definir um grupo novo sistemático para os animais, denominado Sphagesauria. “Essas rochas ocorrem com muita abundância no centro-oeste de São Paulo, parte em Minas Gerais, um pouco no norte do Paraná e no Mato Grosso do Sul. Essas formações do grupo Bauru são as mais prolíficas em termos de fósseis”, informou o paleontólogo.

De acordo com o geólogo Felipe Medeiros, o grupo começou a realizar uma série de expedições àquela região em 2015, fez a coleta dos primeiros esqueletos do Coronelsuchus. Os outros materiais de dinossauros, peixes e tartarugas recolhidos no mesmo local não foram relatados no artigo publicado. O que deve ocorrer em outra publicação.

Por causa da pandemia, os pesquisadores tiveram que deixar de viajar ao local para continuar as escavações para encontrar mais materiais. Felipe torce para o avanço na vacinação contra a covid-19 para a retomada dos trabalhos na região. Enquanto isso, os estudos avançam nos laboratórios. “A gente focou as pesquisas em laboratórios e a preparação dos fósseis que a gente precisa fazer para serem estudados e avaliada a anatomia”, revelou, acrescentando que quando for possível voltar à região haverá um trabalho de divulgação dos achados com os moradores do município.

Os pesquisadores Felipe Medeiros e André Pinheiro destacaram que o projeto recebeu recursos de uma bolsa do CNPq e a descoberta do Coronelsuchus civali é importante diante das dificuldades de liberações de recursos para as pesquisas científicas. “Para a ciência brasileira em um momento de fomentos escassos e em que a ciência não está favorecida, a gente é favorecido, o que possibilitou as novas escavações. É o primeiro deste tipo encontrado na Formação Araçatuba”, disse o coordenador.

Além de André e Felipe, participaram do projeto os pesquisadores Lucy de Souza (UFAC/MUSA),Kamila Bandeira, Renato Ramos e Arthur Brum do Museu Nacional (MN/UFRJ), Paulo Victor Luiz Pereira e Luís Otávio de Castro (UFRJ Fundão).



Continue lendo

Bahia

Manifestantes fazem novo ato contra governo federal neste sábado

Publicado

on


Manifestantes de centrais sindicais, entidades estudantis, partidos de oposição, grupos indígenas, dentre outros se reuniram neste sábado (19) em várias cidades do país em um novo protesto contra o governo do presidente Jair Bolsonaro. O novo ato foi marcado após os protestos realizados no dia 29 de maio deste ano.

Os manifestantes levaram bandeiras com pedidos de extensão do auxílio emergencial de R$ 600, ampliação da vacinação contra a covid-19, com a inclusão de outros grupos entre os prioritários, aumento das verbas para universidades públicas, ampliação dos subsídios para alimentação da população carente, críticas às políticas ambientais e de apoio a partidos políticos de oposição. 

Em Brasília, a concentração foi em frente ao Museu da República e reuniu manifestantes com cartazes e usando máscaras que seguiram para a Esplanada dos Ministérios. No Rio de Janeiro, as manifestações ocorreram na Avenida Presidente Vargas. Em São Paulo, os protestos estão previstos para esta tarde na Avenida Paulista.



Continue lendo

Bahia

Senai oferece cursos gratuitos de capacitação profissional

Publicado

on


Para quem está procurando emprego, cada diferencial no currículo conta. O Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai) oferece cursos de iniciação profissional, qualificação e aperfeiçoamento, com duração que varia de horas a alguns meses. Há cursos técnicos, de, no mínimo, 800 horas, o que corresponde a um ano.

O Centro de Tecnologia da Indústria Química e Têxtil (Cetiqt) do Senai abriu inscrições para mais de 30 cursos gratuitos e online. De acordo com o Senai, os 10 melhores alunos ganharão uma bolsa integral para cursos de graduação e pós-graduação no Senai Cetiqt.

Jovens

Iniciativa voltada para jovens de 14 a 24 anos de idade, em parceria com o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), o 1MiO – Unicef tem 20 cursos de iniciação profissional e aperfeiçoamento, com duração de 4 a 30 horas, online, gratuitos e autoinstrucionais. Não há limite de vagas.

Há diversos cursos disponíveis como Consumo eficiente de energia; Desenho arquitetônico; Desvendando a Indústria 4.0; Educação Ambiental; Finanças pessoais; Logística (5´s e almoxarifado); Noções Básicas de Mecânica Automobilística; Privacidade de proteção de dados (LGPD); entre outros.

Emprega Mais

Por meio de vouchers, o Senai está requalificando de graça trabalhadores da indústria e dando uma formação para desempregados ocuparem vagas no setor. Até abril, foram 33 mil vagas ofertadas em 26 estados para cursos de qualificação e de aperfeiçoamento profissional, presenciais e semipresenciais, com carga horária média entre 120 e 240 horas.

De acordo com o Senai, de maio a agosto, estão previstas 46.817 oportunidades em 23 estados. As indústrias podem requisitar os cursos e indicar profissionais, e pessoas físicas devem acessar as opções na Loja Mundo Senai. A loja virtual de cursos tem outras opções além daquelas previstas no Emprega Mais.

Anualmente, o Senai destina 66,66% da sua Receita Líquida de Contribuição Compulsória Geral para viabilizar a oferta de vagas gratuitas nos cursos técnicos e de formação inicial e continuada. O aluno que deseja solicitar a gratuidade com base na declaração de baixa renda deve procurar a unidade Senai da sua região.

Balanço

De janeiro a março, o Senai registrou 265 mil matrículas em cursos gratuitos de diferentes modalidades, como aprendizagem, qualificação, aperfeiçoamento e técnico.

Os três primeiros meses de 2021 já correspondem a 57% do total de matrículas gratuitas do ano passado (459 mil), o que significa um aumento expressivo na procura e na oferta neste início de ano e aponta uma tendência de alta neste ano.

Em 2020, em relação ao ano pré-pandemia da covid-19, o destaque entre os cursos gratuitos foi a modalidade aperfeiçoamento, com duração entre 8 e 360 horas, cujas matrículas saltaram de 79 mil em 2019 para 120 mil matrículas em 2020. Ao perceber a demanda por qualificação rápida, gratuita e online, em razão da queda na renda das famílias, logo no início da pandemia, o Senai disponibilizou vagas para vários cursos na área de tecnologia, em temas como inteligência artificial, blockchain e programação móvel para Internet das Coisas (IoT). Para os cursos técnicos, a mais recente pesquisa de egressos, de 2020, mostra que sete de cada 10 ex-alunos estavam empregados.

Já nos cursos técnicos, os jovens aprendizes trabalham e fazem um curso paralelamente, com duração de um a dois anos e têm como diferencial a parte prática e a aproximação com o mundo do trabalho. O Senai tem simuladores no curso EaD e, nos cursos semipresenciais e presenciais, a estrutura das escolas conta com equipamentos de última geração para a parte prática.

O curso técnico dá uma formação que, em vários casos, possibilita uma renda salarial equivalente à de um curso superior, sendo que não leva quatro, cinco anos.



Continue lendo

Mais Vistos