conecte-se conosco

Beleza

ESTRESSE DA QUARENTENA PODE AFETAR A PELE

Publicado

on


Pandemia, mudança brusca na rotina, medo de contrair a Covid-19, preocupações extras, o cenário atual é realmente adverso e pode causar diversos efeitos indesejáveis no corpo como um todo, inclusive na pele.  A dermatologista da Clínica Osmilto Brandão, Naraiana Nunes, explica que são várias as formas pelas quais o estresse pode afetar a todos

Com o estresse há um aumento de inflamação e de radicais livres, também havendo envolvimento de hormônios como o cortisol e de neurotransmissores”, afirma. Segundo a especialistaesses fatores podem causar problemas como acne, dermatite atópica, vitiligo, urticaria, entre outras inflamações. 

Enquanto a acne aparece por meio das tão conhecidas espinhas, cravos e caroços, as demais inflamações provocam outros sintomas a serem observados.  A dermatite causa vermelhidão, coceiras e até mesmo bolhas. Outras condições pioradas ou causadas pelo estresse são o vitiligo, que leva à despigmentação da pele em áreas especificas, e a urticáriareação alérgica que pode aparecer por meio de vergões na pele. Entretanto, para ter certeza que o estresse é a causa raiz desses problemas é necessário consultar um dermatologista. 

Durante o tratamento ou prevenção, é importante manter uma rotina de cuidados específicos para o seu tipo de pele, seguindo as orientações de um dermatologista.  Além disso, atividades que promovem bem-estar e saúde, como a prática de exercícios físicos, meditações e técnicas respiratórias também são grandes aliados na melhoria dos efeitos do estresse. 

Ainda segundo a médica, o autoconhecimento é fundamental nesse processo. “Reconhecer os próprios gatilhos para o estresse pode ajudar sanar esse desequilíbrio”, explica Naraiana, destacando a importância da prevenção. 



Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Beleza

O poder que você tem

Publicado

on


Este momento perante pandemia e isolamento social, acabou ‘esgotando’ as energias de muitos, e agora pode ser difícil a percepção do poder que o indivíduo tem de realizar todos os objetivos que desejar.

Com tantos acontecimentos delicados, as metas propostas podem acabar sendo deixadas de lado por alguns, mas é muito importante que isso não ocorra.

Para alcançar os objetivos traçados é preciso foco e determinação, Bianca Drabovski Chemin, Facilitadora de ConsCiência, explica, “Se abra para a percepção do que está acontecendo ao seu redor, mesmo que ruins, os acontecimentos podem trazer mais força e garra, muitos sinais surgem o tempo todo, o ideal é trabalhar alinhando a mente e o corpo”.

Como seria se todos percebessem que “onde você foca sua atenção expande?” Bianca tem algumas sugestões do que fazer para conseguir realizar as metas:

  1. Pegue um papel agora, escreva um objetivo desafiador, mas atingível, preferencialmente em 3 meses. Escreva com todos os detalhes possíveis!
  2. Leia esse objetivo, perceba se é isso mesmo que você deseja. Se sim, leia novamente em voz alta e grave.
  3. Escute o áudio com seu objetivo pela manhã e antes de dormir.
  4. Elabore perguntas que expandem a consciência e percepção, como:

Como é possível alcançar este objetivo com total facilidade e rapidez?

O que posso fazer hoje que me possibilitará alcançar este objetivo?

A Facilitadora diz, “Faça estas perguntas várias vezes por dia e perceba seu corpo. Não permita que a mente responda. Quando a mente tentar responder, pergunte novamente. Permita que a resposta venha em forma de insight, por exemplo”.

O idealizador do objetivo pode contar com vários métodos que auxiliam na expansão da consciência como, a Descompressão Tecidual Global, as Barras de Access e a Limpeza Energética com Cones Chineses®.

Bianca finaliza, “Agora o indivíduo deverá sair da sua zona de conforto e reanalisar a realidade, diversas escolhas na vida partem do inconsciente’.

Serviço: Bianca Drabovski Chemin

Facilitadora de Consciência, Terapeuta, Saúde integrativa.

Facebook: https://www.facebook.com/bianca.bioterapeuta

Instagram: https://www.instagram.com/bianca.bioterapeuta/

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCQOsEgQOpzdoCLuqPhXzCog

Whatsapp: 41.98896.1704

E-mail: bianca.bioterapeuta@gmail.com





Continue lendo

Beleza

Peças da Casa Tupinambá já estão disponíveis em plataforma online

Publicado

on


Peças de moda feitas artesanalmente por meio da palha por artesãs de Vila Sauípe já podem ser compradas online. Esta é mais uma iniciativa fruto das parcerias firmadas para a Casa Tupinambá – projeto desenvolvido pela OR para apoiar a economia criativa na região de Sauípe, onde também ficam seus empreendimentos no litoral norte baiano, que são o Reserva Sauípe e o Quintas Private. 

Por meio do marketplace criado pela empresária de feiras de moda Vera Pontes, peças costuradas pelas artesãs da Associação Mãos Nativas podem ser encomendadas através de um click de qualquer lugar do Brasil. Os acessórios estão disponíveis por meio do link https://feirasexpomadeonline.com.br/maos-nativas-tupinamba/.  

A iniciativa foi possível por meio da intervenção da arquiteta Celeste Leão, que é uma das madrinhas do projeto e atua, principalmente, na área de curadoria das coleções dos produtos a serem comercializados na Casa. 

Neste momento de isolamento, as artesãs continuam trabalhando e desenvolvendo uma nova coleção sob a orientação das madrinhas. “Toda a troca de informação vem sendo feito de forma online, como a definição de cores, tramas e dimensões”, destacou Celeste Leão. 

As etapas desse desenvolvimento vêm ganhando mais espaço online, por meio da consultora em estratégia de marca e sustentabilidade, Isabela Marotto, que, também como madrinha, vem usando suas redes sociais para divulgar as etapas de construção da nova coleção. 

Em sua rede, Isabela já divulgou as etapas de colheita, cozimento e secagem e, mais recentemente, da inspiração das artesãs. “Em coleções de moda tradicional, temos um estilista que cria e divide com os artesãos que desenvolvem a peça. No projeto, as artesãs são responsáveis pelos dois processos, o que lhe dá uma característica especial”, explica Isabela.

A Casa Tupinambá tem o objetivo de resgatar a cultura do trançado de palha e influenciar positivamente a comunidade do entorno da região. Para isso, a OR está promovendo a construção de uma edificação calcada na consciência ambiental, que funcionará como uma sede, para que as cerca de 30 artesãs possam executar o seu trabalho e comercializá-lo no mesmo espaço. Além disso, também será oferecida uma formação para as mulheres que integram a associação. 

Advertisement. Scroll to continue reading.

Conforme explica uma das consultoras do projeto, Luciana Galeão, a iniciativa já trouxe mudanças para o modo de produção das artesãs, resgatando uma forma ancestral de criação dos utensílios, com técnicas mais antigas, inclusive com o tingimento do material, que agora usa plantas e raízes naturais da região, substituindo o tingimento artificial.  

“É um modo de preservar a cultura deste lugar, e também o modo tradicional de produzir os acessórios, retomando um legado dos povos indígenas. Um resgate necessário, pois há pouca renovação de gerações neste trabalho”, avaliou a consultora.



Continue lendo

Beleza

Além da água gelada: Olheiras devem ser tratadas por dermatologista

Publicado

on


Mesmo dormindo mais e melhor durante o isolamento social, algumas pessoas têm notado que as olheiras continuam tão evidentes quanto antesEsse fato demonstra que as olheiras não são exclusivamentfruto do cansaço, mas têm causas variadas que podem ser, inclusive, genéticas. A dermatologista Fabíola Viterbo, da Clínica Osmilto Brandão, explica que as olheiras têm tratamento e podem ser amenizadas 

Aquelas marcas abaixo dos olhos dão uma aparência de cansaço e envelhecimento em quem as tem e são queixas comuns entre homens e mulheres. Elas podem aparecer na forma de bolsas, coloração escura ou acastanhada, flacidez, rugas ou sulcos. Elas geralmente são de dois tipos: vasculares (relacionadas à circulação) ou melânicas (ligadas ao excesso de pigmento). 

A genética é uma das causas mais comuns das olheiras, principalmente entre os descendentes de árabes, latinos e asiáticos. Fabíola Viterbo destaca que a profundidade na cavidade dos olhos, característica relacionada aos traços genéticos, cria uma sombra que influencia na origem dessa marca no rosto

Além da genética, existem outros fatores para o aparecimento das olheiras: a flacidez ligada ao envelhecimento da região, maus hábitos como o tabagismo, alcoolismo e má alimentação, falta de sono e a exposição excessiva ao sol. Além disso, existe também uma ligação com o período menstrual, estresse e alergias.

Tratamentos
O tratamento para olheiras vai depender dos fatores causais e pode variar desde o uso de cosméticos à cirurgia. Por isso, é importante ser avaliado por um dermatologista, que vai indicar qual a melhor solução para cada caso. Na Clínica Osmilto Brandão, os tratamentos mais utilizados no combate às olheiras são os lasers de nano e picossegundos e a luz pulsada, que atuam na fragmentação do pigmento. O número de sessões varia de acordo com a intensidade da olheira. 

A médica explica ainda que os métodos caseiros, como uso de bolsa de água gelada ou chá de camomila, são apenas paliativos. “Se o problema for crônico, esse tipo de tratamento vai amenizar momentaneamente as olheiras, mas ela vai voltar a escurecer após uma noite de sono”, aponta Fabíola Viterbo. 

Além dos tratamentos indicados, é fundamental que a pessoa adote uma rotina de cuidados com a pele, como ingestão de uma quantidade adequada de água, manutenção de hábitos saudáveis, não se expor ao sol sem proteção, tirar a maquiagem do rosto e evitar esfregar a área dos olhos. 

 

Advertisement. Scroll to continue reading.

Conheça as causas mais comuns para as olheiras 

  • Tabagismo
  • Uso demasiado de álcool
  • Envelhecimento 
  • Exposição excessiva ao sol
  • Estresse 

Confira os tratamentos que podem ajudar a controlar o problema

  • Luz pulsada
  • Lasers de nano e picossegundos
  • Uso de cosméticos apropriados 

Sugestão de fonte: Fabíola Viterbo, dermatologista da Clínica Osmilto Brandão 



Continue lendo

Mais Vistos