conecte-se conosco

Entretenimento

GUIGA une indie, rock e experimental em reflexivo single de estreia

Publicado

on


Indie, rock e experimental se misturam com memórias e saudades com  “Vai Ficar Tudo Bem (Guru Session)”. O single é estreia do novo projeto do  produtor musical, baterista, cantor e compositor Guilherme Jarlicht, mais conhecido como GUIGA, e está disponível em todas as plataformas de música digital. A canção traz, em sua essência, o caráter simples e instigador como marcas de sua identidade.

 

Ouça  “Vai Ficar Tudo Bem (Guru Session)”: https://smarturl.it/VaiFicarTudoBemGUIGA

 

Hoje radicado em Londres onde estuda produção musical, o carioca GUIGA é apaixonado por música desde que se entende como pessoa. Durante a adolescência, começou a desenvolver projetos autorais nessa área, incluindo bandas com amigos. O single de estreia dessa nova fase da sua carreira foi fruto de um reencontro com membros de uma ex-banda na Guru Session, que dá nome ao trabalho.

 

“Tudo começou no ano passado com uma jam session com meu irmão Leonardo e alguns amigos de  longa data. As ideias que surgiram desse encontro foram a base para esse novo projeto que fizemos em parceria”, conta GUIGA. “Esse single surgiu num momento de reencontro e cumplicidade que tanto eu meu irmão quanto meus outros dois amigos que participaram da jam session sempre tivemos”.

 

Advertisement. Scroll to continue reading.

Finalizada por GUIGA e Leonardo Jarlicht, a música também celebra a amizade e todos os projetos feitos com carinho mas nunca lançados. O olhar esperançoso da canção, já visível em seu título, ganha novo sentido na atualidade.

 

“Apesar da música ser lançada durante o período de pandemia, ela não foi feita durante esse período. Terminamos todos os processos de gravação antes da crise de saúde mundial e coincidentemente o nome da música pode se encaixar no cenário atual. O resultado desse projeto reflete todo o esforço e dedicação que temos pela música, sendo esse single o primeiro de muitos”, explica ele

 

O artista imprime em “Vai Ficar Tudo Bem (Guru Session)” uma pegada poética e dinâmica como marcas de produtor, e que já teve destaque com artistas como Caju Confá, Hooligans DC e Quartetinho Jazz. A música está disponível em todos os serviços de streaming de música.

 

Ouça  “Vai Ficar Tudo Bem (Guru Session)”: https://smarturl.it/VaiFicarTudoBemGUIGA

 

 

Advertisement. Scroll to continue reading.

Ficha Técnica:

Produção e Composição: Guilherme e Leonardo Jarlicht

 

Guilherme Jarlicht – Bateria e Voz

Leonardo Jarlicht – Guitarra, Baixo e Voz

Tomás Prista Garcia- Voz

 

Gravação e Mixagem: Guilherme Jarlicht e Tomás Prista Garcia

 

Advertisement. Scroll to continue reading.

Masterização: Guilherme Jarlicht

 

Letra:

Esperar

Sem perceber que a vida passa

Sem te avisar

Eu não sei mais o que fazer

 

Se já não quer mais pensar

Advertisement. Scroll to continue reading.

Em alguma alternativa

Que seja leve e sempre sincera

E que apesar do mundo ser assim

Seja esperto

Por que esperar

 

Caí nos braços de alguém

Que queira me esperar

(Não vai dar)

Advertisement. Scroll to continue reading.

Você me diz ta tudo bem

Mas não aguenta mais ficar

 

Seja esperto

E se pensar demais

O tempo passa

E nada mais

 

Siga Guiga:

Advertisement. Scroll to continue reading.

https://www.instagram.com/guiga_jarlicht/

https://soundcloud.com/guilhermejarlicht





Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

No domingo, 17, último dia do Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual, Lucia Murat participa de debate virtual

Publicado

on


Um debate com a cineasta Lucia Murat no dia 17, domingo, às 19h, encerra a terceira edição virtual e gratuita do Cabíria Festival – Mulheres & Audiovisual, evento dedicado à produção realizada por mulheres para promover maior representatividade e diversidade nas telas e atrás das câmeras. Com mediação da jornalista Flávia Guerra e participação da também cineasta Julia Murat, filha de Lucia, o encontro será acessível em Libras no YouTube do Telecine. Em homenagem à diretora, uma mostra com quatro de seus filmes está disponível na plataforma VIDEOCAMP e o recém-lançado “Ana. Sem Título” será disponibilizado no sábado, dia 16, por apenas 24 horas no Telecine Play.

Antes disso, filmes, debates, masterclass e painel são ainda opções para quem quiser aproveitar os últimos dias do festival. Diariamente, às 12h, no Youtube e Instagram do Hysteria, a Mostra Imaginários Possíveis exibe um microfilme. Quinta é a vez de Mergulha, de Pris Oliveira; na sexta, Nhandesy, de Graciela Guarani e no sábado, Nicinha Não Vem, de Muriel Alves.

No youtube do Festival, hoje, 14, às 19h e sábado, 16, e domingo, 17, às 15h, haverá encontros com cineastas sobre filmes exibidos na programação. Hoje, as realizadoras Coraci Ruiz, Julia Leite, Gautier Lee e Mel Jhorge, sob mediação de Galba Gogóia, conversam sobre seus filmes. Sábado o debate será com Tila Chitunda, Olinda Yawar Tupinambá, Bruna Carvalho Almeida, Brunna Laboissière e Radja Bechichi com mediação de Viviane Pistache. Domingo, é a vez de Caroline Leone, Ayani Hunikuin, Lillah Halla e Mariani Ferreira com mediação de Filippo Pitanga. Ao término do debate será anunciado o filme vencedor do Prêmio Canal Brasil de Curtas.

Na sexta,15, o destaque é a mesa “Narrativas infantojuvenis e a construção do imaginário para e sobre as infâncias: um desafio no plural”. Participam Maíra Bosi, do Instituto Alana, e as roteiristas Janaína Tokitaka e Belise Mofeoli. A mediação será de Maíra Oliveira, autora, roteirista e atual presidente da ABRA (Associação Brasileira de Roteiristas e Autores). E sábado, 16, a masterclass “A construção narrativa e a reflexão da imagem” terá a presença da cineasta Nurith Aviv e mediação de Helen Beltrame-Linné.  Primeira cineasta mulher reconhecida como diretora de fotografia pelo Centre National du Cinéma (CNC/França), Nurith abordará seu processo criativo com Agnès Varda no filme Documenteur (1981) e o seu processo autoral, com foco especial para o seu filme Sinais.

Na plataforma VIDEOCAMP estão disponíveis os filmes da Mostra Homenagem Lucia: Que Bom Te Ver Viva (1989), Maré, Nossa História de Amor (2007), A Memória Que Me Contam (2013), Em Três Atos (2015). Para conferir onde assistir aos filmes e participar de outras atividades, basta acessar o site  www.cabiria.com.br

PROGRAMAÇÃO

QUINTA-FEIRA 14/10

SESSÃO | Videocamp

EU ESPERO O DIA DA NOSSA INDEPENDÊNCIA, de Brunna Laboissière e Bruna Carvalho Almeida (Documentário de criação, 21’, Brasil – SP, 2020)

Disponível 14 a 17/10

12h | Youtube Hysteria MOSTRA IMAGINÁRIOS POSSÍVEIS – Microfilme “Mergulha” de Pris Oliveira (Experimental, 75’’, SP/Brasi, 2020)

19h | YouTube Cabíria Festival ENCONTRO COM CINEASTAS – Debate Filmes: LIMIAR, de Coraci Ruiz ACESSO, de Julia Leite DESVIRTUDE, de Gautier Lee SAPATÃO: UMA RACHA/DURA NO SISTEMA, de dévora mc Com: Coraci Ruiz, Julia Leite, Gautier Lee e Mel Jhorge. Mediação: Galba Gogóia * Acessível em Libras.

SEXTA-FEIRA 15/10

11h | YouTube Cabíria Festival Mesa: Narrativas infantojuvenis e a construção do imaginário para e sobre as infâncias: um desafio no plural.

Com: Maíra Bosi, Janaína Tokitaka e Belise Mofeoli. Mediação: Maíra Oliveira

* Acessível em Libras.

12h | Youtube Hysteria MOSTRA IMAGINÁRIOS POSSÍVEIS – Microfilme “Nhandesy” de Graciela Guarani (Experimental, 180”, PE/Brasil. 2020)

SÁBADO 16/10

SESSÃO Especial | Telecine Play ANA SEM TÍTULO, de Lucia Murat – Disponível 16/10

11h |YouTube Cabíria Festival

MASTERCLASS A construção narrativa e a reflexão da imagem Com: Nurith Aviv. Mediação: Helen Beltrame-Linné *Tradução consecutiva. Acessível em Libras.

15h |YouTube Cabíria Festival

ENCONTRO COM CINEASTAS – Debate Filmes DESLOCAMENTOS, PARAÍSO E CAOS, de Tila Chitunda EU ESPERO O DIA DA NOSSA INDEPENDÊNCIA, de Brunna Laboissière e Bruna Carvalho Almeida KAAPORA – O CHAMADO DAS MATAS, de Yawar Tupinambá Com: Tila Chitunda, Olinda Yawar Tupinambá, Bruna Carvalho Almeida, Brunna Laboissière e Radja Bechichi. Mediação: Viviane Pistache. *Tradução consecutiva. Acessível em Libras.

DOMINGO 17/10

15h | YouTube Cabíria Festival

ENCONTRO COM CINEASTAS – Debate Filmes PELA JANELA, de Caroline Leone, AYANI POR AYANI, de Ayani Hunikuin, MENARCA, de Lillah Halla, ROTA, de Mariani Ferreira Com: Caroline Leone, Ayani Hunikuin, Lillah Halla e Mariani Ferreira. Mediação: Filippo Pitanga

16h30 | YouTube Cabíria Festival

Anúncio do Prêmio Canal Brasil de Curtas

ENCERRAMENTO

19h | YouTube TELECINE

ENCONTRO COM A CINEASTA HOMENAGEADA

Com Lucia Murat e Julia Murat. Mediação: Flávia Guerra

* Acessível em Libras.

O festival segue com programação intensa até o dia 17, confira os detalhes em www.cabiria.com.br



Continue lendo

Entretenimento

Gavin James lança single “Greatest Hits”

Publicado

on


O modesto e autêntico cantor e compositor irlandês Gavin James, cuja arte tem sido a chave para desbloquear 1,5 bilhão de streams, 6 milhões de ouvintes mensais no Spotify, 32 discos de Platina e Ouro em todo o mundo e uma posição Top 20 nas principais paradas no Reino Unido, lança o novo single ‘Greatest Hits’ em 15 de outubro.

O single anterior ‘Sober’ se tornou um marco na BBC Radio 2, estabelecendo-se por 6 semanas nas listas de reprodução A e B. A balada fez sucesso no Spotify e Apple Music, ultrapassando 2,5 milhões de streams nas plataformas, levando a um enorme apoio da imprensa, incluindo um artigo de capa digital com a FAULT Magazine, e apoio de outras webzines de moda, como Wonderland, EUPHORIA e revista tmrw. O single atingiu proporções estratosféricas quando Gavin apresentou uma versão despojada da música no primeiro episódio do novo programa de música ao vivo em horário nobre da Irlanda, “The Heart of Saturday Night”.

Sonoramente, o novo single ‘Greatest Hits’ está muito longe dos lançamentos anteriores de Gavin. Coescrita por Ollie Green (Freya Ridings, Lewis Capaldi), que participou do álbum “Evering Road” de Tom Grennan, e Fiona Bevan, que coescreveu o hit número 1 do One Direction, “Little Things” com Ed Sheeran, em sua essência continua sendo uma canção de término emocionalmente cativante, mas musicalmente remonta aos anos 80.

Co-produzida pelo compositor nomeado ao Ivor Novello Mark Ralph (Years & YearsClean Bandit, Jax Jones), Greatest Hits’, com sons de baixo agitados, percussão em alta velocidade e conteúdo lírico melancólico, gira como um DeLorean crepuscular, como Gavin canta “and now I’m on my own, I just dance along to our greatest hits” (e agora estou sozinho, apenas danço nossos maiores sucessos).

Gavin comenta sobre o novo single: “’Greatest Hits’ é sobre as memórias que ficam contigo quando você termina com alguém. É sobre se lembrar apenas das partes boas e esquecer as partes ruins (os lados B). É bem synthy e bastante diferente de qualquer coisa que já lancei… mas estou ansioso para as pessoas ouvirem”

De sucessos anteriores como ‘Always’ ‘Nervous’ até seus lançamentos mais recentes ‘Sober’ e ‘Man on the Moon’, os talentos de Gavin foram abraçados por incontáveis grandes nomes. Ele fez shows com Niall Horan, Ed Sheeran e Sam Smith, enquanto seu recente EP ‘Boxes’ foi para o primeiro lugar nas paradas de álbum e transmissão da Irlanda no ano passado.

Dubliner, Gavin James percorreu um longo caminho desde seus primeiros dias como cantor na Grafton Street. Sua turnê internacional resultou em 250.000 vendas de ingressos para seus shows em todo o mundo, incluindo duas noites em Dublin com capacidade para 13.000  pessoas na 3Arena. No mês passado, ele fez um retorno triunfante à arena ao vivo, quando tocou para 40.000 pessoas no Estádio Wankdorf da Suíça, para o evento Energy Air 2021.

“Greatest Hits” ficará disponível para ouvir a partir de 15 de outubro via Good Soldier / AllPoints.

Créditos do clipe oficial
Produtora – Electric Light Studios
Diretor – Andy Morgan
Produtor – Mike Downs
Escrito por – Gavin James & Andy Morgan
Diretor de Fotografia – Franklin Dow
Comissária – Stella Foster



Continue lendo

Entretenimento

Kirby lança novo EP “Sis. He Wasn’t the One”

Publicado

on


A aclamada cantora e compositora americana KIRBY lança novo EP “Sis. He wasn’t the one”.

“Sis. He wasn’t the one” é uma masterclass de 10 músicas dedicada a documentar o lado espinhoso e complexo dos relacionamentos para mulheres que lutam contra parcerias desiguais, amor não correspondido e sentimentos complexos de autoestima. KIRBY compartilha histórias sinceras de problemas no amor moderno com base em suas próprias experiências, canções que ela detalharia em particular para fins terapêuticos. As histórias tecidas em Sis. He wasn’t the one são contos com os quais muitas mulheres podem se relacionar em particular. Porém, em vez de evitar essas experiências, KIRBY delicadamente nos incentiva a trazer nossa dor à tona, em vez de nos esconder por vergonha. “Acho que estava no meu coração contar essas histórias e não apenas começar com como acabaram.”

A 6ª faixa do EP, “Lately”, é um dos melhores exemplos do “compromisso com o soul” da artista, um destaque com o aclamado artista BJ The Chicago Kid. A faixa é sublinhada por cordas de guitarra dedilhadas, harmonias de coral e toques de xilofone dos velhos tempos. KIRBY dá nome a momentos de fraqueza nos relacionamentos. ‘Eu fico sozinha / é quando você me liga / Eu vejo tão claramente / Tudo o que eu quero para mim é você”, ela canta, aproveitando os vocais e a estrutura da música de predecessores musicais como D’Angelo. A voz melódica de BJ The Chicago Kid complementa lindamente KIRBY, criando uma paisagem sonora luxuosa que é suave como mel. O hilariante funk elástico da lançada anteriormente “Coconut Oil” e o hino retrô R&B de “Boyz II Men” mostram a amplitude e o escopo apresentados, e outro destaque é a faixa de abertura do EP, “Love Song“. A faixa é uma balada delicada e um sussurro de apenas 2 minutos. Ainda assim, KIRBY consegue embalar um grande instrumental em uma faixa que comunica seu tom triste, borrifando notas de piano entre as cordas orquestrais, catapultando o ouvinte para o gênio musical de KIRBY.

KIRBY já era bem conhecida e muito elogiada por suas habilidades de compor canções antes de mudar os holofotes para sua própria arte cativante. Nascida em Memphis e criada no Mississippi, a estrela em ascensão cita o compromisso de criar “música soul para o futuro”, em uma época que muitos não se referem mais ao gênero. Ela desenvolveu sua voz cantando na Igreja Batista do Sul desde muito jovem, treinamento que moldou seus vocais de destaque e caráter forte. Foi o treinamento que deu lugar ao lançamento do EP “Sis” do ano passado, que a viu aparecer no Tiny Desk da NPR, três usos separados na temporada mais recente da série ‘Insecure’ da HBO, e mais de 18 milhões de streams em plataformas de streaming em apenas alguns meses. Ela também participou da série popular COLORS. Ao lado de outras colaborações com músicos como Lucky Daye and The Menahan Street Band (do icônico álbum “Back to Black” de Amy Winehouse), suas grandes habilidades de composição viram suas faixas irem para Beyoncé (Die With You), Ariana Grande (Break Your Heart Right Back) e Kanye West (FourFiveSeconds, Only One), entre outros.

O EP “Sis, He Wasn’t the One” é apenas o passo mais recente no catálogo cada vez maior de KIRBY, e sua mais nova tentativa em mostrar aos ouvintes seu som original como a “neta do soul”. Com um espaço de apoio cobiçado na turnê de John Legend pelos Estados Unidos neste outono em andamento atualmente, espere ouvir muito mais nos próximos meses.

Lista de faixas do EP “Sis. He wasn’t the one”

1) Love Song
2) Leon Pt. 2
3) Break Her Heart For Me
4) Coconut Oil
5) Boyz II Men
6) Lately ft. BJ The Chicago Kid
7) Wish I Loved
8) Blame The Internet
9) First
10) Can We Be Friends?



Continue lendo

Mais Vistos