conecte-se conosco

Entretenimento

Brisa e rock alternativo em novo single da Fluhe

Publicado

on


Com acordes cirúrgicos, a Fluhe extravasa pela potência do single “O elo que falta”, lançado via Alcalina Records. A música antecipa o disco de estreia , “sobre nós”, que contará com fortes influências do rock alternativo, com mais distorções e menos sintetizadores. O single remete a sonoridade de Tommy Guerrero, skatista e músico, cujo as músicas influenciaram a pré-produção do single. A canção já se encontra disponível nos streamings.

 

“Inicialmente, a música se chamaria ”G is for warrior”, fazendo uma alusão ao músico e skatista Tommy Guerrero. Porém o conceito de luta vem do câncer de mama, no qual convivi com uma pessoa que venceu esta doença. A ideia é que para superar um obstáculo, seguimos em busca pelo elo que falta”, explica Chico Leibholz.

 

A música “O elo que falta” sucede o single “Apenas sonhos”, lançado em junho/2020. A melodia surgiu alguns meses após o lançamento do primeiro EP da Fluhe, “Leve Devaneio Sobre Ansiedade”, lançado em 2019 via Alcalina Records.

Fundada pelo multi-instrumentista Chico Leibholz (Boom Project, Soulstripper, Os Augustos), a Fluhe conta com temática urbana e instrumental, e envolve elementos do rock e da soul music, com altas doses de Trip Hop. Essa mistura encantou o público, levando o projeto a festivais como o Bananada (GO) e o CoMA (DF). Além de músico, Chico também é conhecido na cena por seu trabalho como engenheiro de som, tendo trabalhado no estúdio na Casa do Mancha. Atualmente, é o responsável pelo estúdio Baixo Augusta, em São Paulo (SP).

 

O single “O elo que falta” contou com Chico Leibholz na produção, captação, gravação, mixagem, masterização e design da capa. As guitarras do refrão são de Agê (Andaluz).

Advertisement. Scroll to continue reading.

 

Ouça “O elo que falta” nos streamings: https://ditto.fm/o-elo-que-falta



Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Então É Aqui: Pablo Vermell satiriza angustia pós-término em novo single

Publicado

on


“Quando o leite já está derramado, mais vale rir do que chorar”. É a partir desse sentimento que o cantor e compositor Pablo Vermell divulga o single Então É Aqui. O lançamento chega às plataformas de streaming via Caravela Records / Warner Music Brasil.

Escute Então É Aqui no Spotify

A faixa satiriza a angústia pós-término enquanto alude ao saudosismo da musicalidade dos anos 60 e 70. Além disso, Então É Aqui se remete à sonoridade do dream pop contemporâneo. No videoclipe, Pablo referencia O Último Programa do Mundo, atração que se destacou em meio ao iminente fim da MTV Brasil Abril, mais conhecida como “antiga MTV”.

Assista o videoclipe de Então É Aqui via Youtube

A faixa foi gravada em Santos, São Paulo. Na ocasião, o cantor contou com o suporte do produtor Gabe.Sx e gravou as linhas de baixo e guitarra. O videoclipe, por sua vez, foi filmado e editado por Mika Xavier.

Pablo, aponta Então É Aqui como uma canção ambígua.

“Sabe quando a gente passa por algo ruim e pensa ‘ok, vou superar isso’? No fundo, todo mundo sabe que as coisas não funcionam exatamente desse jeito. Particularmente, sempre usei o humor como uma válvula de escape quando as coisas não rolam conforme o planejado. Dessa vez, tentei deixar isso explícito no clipe”, frisou.

Anteriormente em 2021, Pablo lançou o single Can I Call You? e o EP Fugaz. Agora, o artista se prepara para o lançamento de novos trabalhos autorais.



Continue lendo

Entretenimento

Camaleão Grupo de Dança estreia a videodança “Veias Abertas” na Virada Cultural de BH

Publicado

on


O Camaleão Grupo de Dança sempre fez questão de levar para as obras as inquietações trazidas pelos integrantes e criadores. Em algumas montagens, elas podem aparecer como inspiração, provocações, como recursos plásticos, mas sempre como um convite para a reflexão e a sensibilização do público para temas considerados urgentes. E com a videodança “Veias Abertas” não é diferente. Neste trabalho inédito, a proposta do grupo foi trazer um olhar para as águas, buscando levantar uma discussão sobre a saúde dos rios e o impacto disso em nossas vidas. O personagem principal é o Rio da Velhas, que foi escolhido por ser o principal abastecedor de água potável da capital mineira.  “Nesse caso entendemos que vai além de uma questão ambiental, mas de autocuidado, de qualidade de vida dentro e fora de nós. Ou seja, propor uma reflexão sobre as águas, de como elas interferem e estão diretamente relacionadas com o processo de cuidar de nós mesmos, do nosso entorno, do ambiente, da nossa casa… do planeta”, aponta Marjorie Quast, fundadora e diretora do grupo.

“Veias Abertas” é um projeto bastante audacioso e precisou sofrer algumas adaptações durante a pandemia para ser desenvolvido. Além do espetáculo presencial, que será apresentado em um palco flutuante às margens do rio no dia 6 de novembro, a obra se estende também ao formato da videodança. “O Camaleão tinha um sonho antigo de realizar videodança. Diante destas questões e deste cenário, nos sentimos inspirados a realizar esse trabalho. Um movimento que que percorre as águas, as montanhas, a terra, as comunidades, a história. Apesar de ser uma nova linguagem para o grupo, este formato viabiliza a discussão proposta de forma tocante, poética e sensível”, destaca Inês Amaral, diretora artística do Camaleão Grupo de Dança.

A obra foi concebida a partir de um extenso trabalho de pesquisa desenvolvido a partir de uma expedição,  em novembro de 2019, onde os integrantes do grupo tiveram contato com as comunidades locais, pescadores, diretores das Escolas Estaduais, representantes dos movimentos culturais de três cidades banhadas pelo rio (Lassance, Várzea da Palma e Barra do Guaicuí), todas localizadas na região conhecida como baixo Rio das Velhas. Nesta parte, a navegação só é possível durante em algumas épocas do ano. Em 2020, já durante a pandemia, o Camaleão Grupo de Dança iniciou um processo de estruturação da montagem, realizado em formato online. Esta fase compreendeu a realização de pesquisas, além de oficinas com a comunidade das três cidades. Ao final deste processo, o grupo promoveu a 2ª Expedição na região baixo Rio das Velhas, para a realização das filmagens, que terão sua estreia neste final de semana.

Sobre o Camaleão Grupo de Dança

@camaleaogrupodedanca / www.facebook.com/camaleaogrupodedanca

 

O CAMALEÃO GRUPO DE DANÇA tem 3 anos de história e é um patrimônio histórico e cultural de Minas Gerais. O Grupo tem em seu repertório 20 montagens assinadas por 13 destacados profissionais nacionais e internacionais, entre eles Omar Carrum, Vladimir Rodriguez, Jorge Garcia, Mário Nascimento, Luís Arrieta, Tindaro Silvano, Carlota Portela e Tuca Pinheiro. Em parceria com a escola NÚCLEO ARTÍSTICO (fundada em Belo Horizonte em 1978), criam, incentivam, e divulgam a dança, cumprindo com o seu compromisso social de educadores e difusores culturais, se tornando o berço de renomados artistas nacionais. Como parte desse compromisso desenvolve também um projeto social de formação em dança que atende mais de 200 jovens e crianças de comunidades carentes. É uma companhia de grande importância para o país, por seu aspecto plural: da formação consistente em dança com a realização de espetáculos de estilos variados, a produção de obras com renomados artistas. O CAMALEÃO transforma o pensamento e a dança investindo em novas possibilidades de pesquisa e criação, aprimorando constantemente a qualidade de suas produções, somando mais de 50 prêmios ao longo desses anos.

 

::SERVIÇO::

Estreia Videodança “Veias Abertas” – Camaleão Grupo de Dança – exibição em lopping

Data: 16/10 – sábado

Horário: das 21h às 23h

Local: Edifício Araguaia (Avenida Augusto de Lima, 134, Centro) – Parede Lateral – próximo ao Ed. Arcângelo Maletta). As imagens serão projetadas a partir do Mumo(Rua da Bahia 1149)

Gratuito



Continue lendo

Entretenimento

Shopping Itaigara lança exposição de quadros inusitada

Publicado

on


Quando a criatividade inspira o artista, qualquer superfície pode ser uma tela em branco para a sua criação. Exemplo disso é o artista Oscar Pinto, que desenvolveu uma técnica de pintura em filtros descartáveis de café, proporcionando textura e nuances únicas nas telas.  Paisagens de Salvador, imagens religiosas e até cenas clássicas do cinema foram retratadas nas obras que estarão na Exposição de Quadros que fica em cartaz entre os dias 19 e 23 de outubro no Shopping Itaigara. Aproveitando o espaço, Oscar Pinto também levará ao acervo da exposição quadros pintados sobre azulejos. “Sempre buscamos incentivar a cultura local. E quando esse talento vem de um cliente nosso, nós abraçamos e acolhemos com muito carinho”, afirma Gilson da Hora, gerente de Marketing do Shopping Itaigara. A exposição aberta ao público ficará no mall do Shopping Itaigara, no 1º piso.

Serviço:

O que – Exposição de Quadros Oscar Pinto

Quando – 19 a 23 de outubro

Onde – Shopping Itaigara, 1º piso

 



Continue lendo

Mais Vistos