conecte-se conosco

Esportes

IBGE: desemprego na pandemia atinge maior patamar em agosto

Publicado

on

A taxa de desocupação atingiu 14,3%, na quarta semana de agosto, um aumento de 1,1 ponto percentual frente à semana anterior (13,2%), alcançando o maior patamar da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad) covid-19, iniciada em maio.

Essa alta acompanha o aumento na população desocupada na semana, representando cerca de 1,1 milhão a mais de pessoas à procura de trabalho no país, totalizando 13,7 milhões de desempregados. Os dados foram divulgada hoje (18) pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

A população fora da força de trabalho (que não estava trabalhando nem procurava por trabalho) era de 74,4 milhões de pessoas, mantendo-se estável em relação à semana anterior (75 milhões) e, também, frente à semana de 3 a 9 de maio (76,2 milhões). Nessa população, disseram que gostariam de trabalhar cerca de 26,7 milhões de pessoas (ou 35,8% da população fora da força de trabalho). Esse contingente ficou estável frente à semana anterior (26,9 milhões ou 35,9%) e à semana de 3 a 9 de maio (27,1 milhões ou 35,5%).

Cerca de 16,8 milhões de pessoas fora da força que gostariam de trabalhar e não procuraram trabalho não o fizeram por causa da pandemia ou por não encontrarem uma ocupação na localidade em que moravam. Elas correspondiam a 22,6% das pessoas fora da força. Esse contingente permaneceu estável em relação à semana anterior (17,1 milhões ou 22,9%), mas diminuiu frente à semana de 3 a 9 de maio (19,1 milhões ou 25,1%).

A coordenadora da pesquisa, Maria Lucia Vieira, destaca o crescimento da taxa de desocupação, que era de 10,5% no início de maio, e explica que a alta se deve tanto às variações negativas da população ocupada quanto ao aumento de pessoas que passaram a buscar trabalho.

“No início de maio, todo mundo estava afastado, em distanciamento social, e não tinha uma forte procura [por emprego]. O mercado de trabalho estava em ritmo de espera para ver como as coisas iam se desenrolar. As empresas estavam fechadas e não tinha local onde essas pessoas pudessem trabalhar. Então, à medida que o distanciamento social vai sendo afrouxado, elas vão retornando ao mercado de trabalho em busca de atividades”, disse, em nota, a pesquisadora.

Isolamento social

A pesquisa também indica mudança no comportamento da população em relação às medidas de isolamento social. Segundo o IBGE, o número de pessoas que ficaram rigorosamente isoladas diminuiu pela segunda semana seguida. Entre 23 e 29 de agosto, 38,9 milhões de pessoas seguiram essa medida de isolamento, uma queda de 6,5% em relação aos 41,6 milhões que estavam nessa situação na semana anterior.

Segundo Maria Lucia Vieira, há relação entre o aumento das pessoas em busca de trabalho e a flexibilização do isolamento. “A gente está vendo uma maior flexibilidade das pessoas, uma maior locomoção em relação ao mercado de trabalho, pressionando o mercado de trabalho, buscando emprego. E esses indicadores ficam refletidos no modo como eles estão se comportando em relação ao distanciamento social”.

A parcela da população que ficou em casa e só saiu por necessidade permaneceu estável. São 88,6 milhões de pessoas nessa situação, representando 41,9% da população do país. Houve estabilidade também no contingente dos que não fizeram restrição, chegando a 5 milhões de pessoas, e dos que reduziram o contato, mas que continuaram saindo de casa ou recebendo visitas, situação de 77 milhões de pessoas.

O número de pessoas ocupadas que estavam afastadas do trabalho por causa das medidas de isolamento social foi reduzido em 363 mil e esse contingente passou a 3,6 milhões. As pessoas que estão nessa situação agora representam 4,4% de toda a população ocupada, estimada em 82,2 milhões. Dos 76,1 milhões de pessoas que estavam ocupadas e não foram afastadas do trabalho, 8,3 milhões trabalhavam remotamente.

Estudantes sem atividades escolares

A pesquisa estima em 45,6 milhões o número de estudantes matriculados em escolas ou universidades na quarta semana de agosto. Desse total, 7,2 milhões (15,8%) não realizaram atividades escolares em casa no período. O número permaneceu estável em relação à semana anterior. As férias foram apontadas como motivo para 970 mil alunos não realizarem atividades escolares.

Segundo o IBGE, o contingente de estudantes que tiveram atividades ficou em 37,4 milhões. “Ainda estamos no patamar de 82% de pessoas que referiram ter atividades escolares”, afirmou Maria Lucia.

Síndrome gripal

Na quarta semana de agosto, 11,3 milhões de pessoas apresentaram pelo menos um dos sintomas investigados pela pesquisa, como febre, tosse e dor de garganta. O número é inferior ao estimado na semana anterior, quando 12,4 milhões de pessoas relata ter algum dos sintomas. “Isso representa 5,3% da população. Em maio esse percentual chegou a 12,7%”, disse a pesquisadora.

Das pessoas que apresentaram algum sintoma, 2,6 milhões buscaram atendimento em estabelecimento de saúde como postos de saúde, pronto socorro, hospital do Sistema Único de Saúde ou privado. O número de pessoas que procurou atendimento em hospital público, particular ou ligado às forças armadas foi estimado em 799 mil. Desses, 15,2%, ou 121 mil, foram internados.

source

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esportes

Elismar Carrasco analisa experiência no Leste Europeu: “Sensação maravilhosa”

Publicado

on


Contratado pelo ACA MMA, goiano vem de dois confrontos no cenário europeu

Elismar Lima ou apenas “Carrasco” como é conhecido no mundo do MMA, foi contratado recentemente pelo ACA, após ganhar destaque no Open FC com uma vitória arrasadora. Após derrotar Viktor Kolesnik com menos de 2 minutos de combate, o atleta foi contratado para lutar na edição de número 122 do ACA contra Levan Makashvili.

No duelo, Elismar acabou sofrendo o primeiro revés desde 2019, derrota que não desanimou o goiano, que promete afiar o seu jogo para superar o estilo de luta agarrada dos próximos rivais:

— Não vou dizer que sejam lições e sim que adquiri conhecimento, vi que o jogo deles é mais focado no wrestling, vou treinar mais esse jogo e estarei pronto para a próxima. Todo atleta de MMA sempre tem que estar pronto para tudo, vitórias e derrotas, apenas não foi meu dia, mas estarei preparado para o próximo desafio — declarou Elismar.

Elismar praticamente dominou o território brasileiro, após ganhar destaque no SFT, o lutador conquistou o cinturão peso-pena do Future, dois dos maiores eventos de MMA do país. No currículo, o atleta soma vitórias notáveis sobre Khasan Askhabov, Guilherme Faria e Rafael Coxinha, de estilo agressivo no cage, o goiano promete voltar ainda mais forte no próximo desafio que encarar no palco do ACA:

— Claro que os treinos vão continuar intensos, o treinamento é sempre pesado com o foco na vitória, do jeito que vier agora vai voltar, estarei pronto para qualquer adversário!

Somando 23 vitórias no cartel, o atleta de 32 anos busca não só dar a volta por cima no ACA MMA, como elevar o seu nome e se credenciar para disputar o cinturão da categoria no futuro, atualmente nas mãos de Magomedrasul Khasbulaev.

Depois de lutar em Samara (Rússia) pelo Open FC, e em Minsk (Belarus) pelo ACA MMA, o goiano respondeu sobre o que o achou da experiência, até então, de lutar em alguns dos maiores eventos da Europa;

— Foi uma sensação maravilhosa, me senti muito bem, fomos bem recebidos, eventos de qualidade e estrutura gigantesca, é o sonho de qualquer atleta, a Rússia só tem atletas duros e saber que estou ali já me faz sentir vitorioso — declarou Carrasco.

Atleta da Junão Fighters, Elismar ostenta agora 6 vitórias em seus últimos 7 confrontos, somando 13 vitórias por nocaute e 6 por finalização na carreira, o goiano aguarda para saber quando será seu retorno à Rússia, e quem será o seu próximo adversário na organização fundada por Mairbek Khasiev.



Continue lendo

Esportes

Vinícius Trator define principais metas para esse ano: “ADCC e Mundial são meus principais focos”

Publicado

on


Faixa-preta ainda revelou planos para abrir própria academia em Miami

Uma das maiores promessas do Jiu-Jitsu brasileiro, Vinícius Trator possui apenas 23 anos, mas uma experiência para poucos nos tatames. Campeão nas principais competições que disputou mundo afora como faixa-roxa e marrom, Vinícius foi graduado à faixa-preta pelos mestres Michael Langhi e Fábio Gurgel no com apenas 20 anos, e 6 anos de treinamento intensivo na Alliance. Ao falar sobre a fase atual e as principais armas do seu jogo, o lutador busca se desenvolver em todas áreas:

— Acredito que minha guarda é um ponto forte e bem completa e venho trabalhando mais minha passagem de guarda, leg locks e heel hooks para complementar meu jogo em todo, meu foco é melhorar todos os pontos e ser o mais completo possível no geral — declarou o atleta.

Atualmente Vinícius tem afiado o jogo da Fight Sports, onde treina ao lado de grandes nomes e promessas do Jiu-Jitsu mundial, como Roberto Cyborg, campeão do ADCC, Vagner Rocha, Rodrigo Francioni e Felipe Porto. Em Miami, onde treina e reside, o atleta pretende criar raízes, montando a sua própria academia, e para segundo o próprio atleta ensinar os princípios e o que há de melhor na técnica do Jiu-Jitsu na região:

— Pretendo abrir a minha academia no futuro ou o mais breve possível, mas o meu foco em geral não será apenas competição e sim entregar o melhor Jiu-Jitsu possível onde estou morando aqui em Miami — enfatizou Vinícius.

Além dos inúmeros títulos conquistados na carreira, Vinícius foi medalhista de prata na disputa do ADCC, em 2019, o torneio coroa o melhor lutador de submission do planeta. Vinícius ainda mescla as disputas pelos tatames nos eventos da IBJJF, e as superlutas que protagoniza Fight To Win, organização que realiza combates no grappling. Em busca do sonho de chegar no alto do pódio do planeta, Vinícius revelou as principais metas para 2021:

— O ADCC e o mundial são os meus principais focos, superlutas, acredito que vou fazer em média 6 por ano no máximo, mas meu foco sempre será o ADCC e mundial — finalizou o faixa-preta.

Além do ADCC, sonho de qualquer grappling, e do Mundial realizado todos os anos na Califórnia, o atleta ainda pretende lutar no Pan de kimono, caso seja realizado, e lutar tanto na sua categoria de origem, quanto absoluto em ambas as competições.



Continue lendo

Esportes

Através da MVP, atletas brasileiros disputam cinturões no Open FC

Publicado

on


Depois de Luis KLB, chegou a hora de Bruno Roverso lutar pelo título da organização no próximo fim de semana

No próximo fim de semana, acontece na cidade de Moscow, Rússia, a quarta edição do Open FC, evento que mais cresce no cenário europeu de MMA. Dando oportunidade para atletas brasileiros em praticamente todas as edições, Bruno Roverso e Michel Sassarito serão os responsáveis por representar o Brasil no evento que acontece no próximo sábado, dia 22 de maio.

Através da MVP, agência de lutadores brasileira, Luis KLB disputou o cinturão peso-pesado na terceira edição, agora será a vez de Bruno Roverso tentar trazer o primeiro título do evento para o Brasil. Fundador da MVP, o empresário Thiago Custódio falou sobre como funciona o trabalho da agência em parceria com os russos:

— A MVP hoje tem um acordo de exclusividade com o Open, de fechamento de atletas brasileiros, mas trabalhamos com todas as outras agências, outros managers, assim conseguimos fechar duas disputas de cinturão, tanto do KLB, quanto do Bruno Roverso. É uma parceria muito bacana, o evento é muito sério, e temos trabalhado de forma bem isenta, o objetivo é sempre mandar os melhores para a Rússia, seja da MVP, ou de outras agências, não queremos monopolizar o mercado — declarou o empresário.

A MVP é uma das agências que vem ganhando cada vez mais espaço dentro do cenário brasileiro de artes marciais mistas. No evento do próximo fim de semana, além de Bruno e Michel, Mayana Kellen é outra brasileira que estava escalada para lutar, porém, a lutadora acabou contraindo covid-19, a deixando impossibilitada de viajar para a Rússia. Questionado sobre a expectativa para a dupla brasileiro no Open FC 4, Thiago esbanjou confiança nos atletas:

— Infelizmente a luta da Mayana foi cancelada, ela acabou pegando covid, mas estamos tentando colocar outra atleta, porém, não sabemos se vai dar certo. Em relação ao Sassarito e ao Roverso, sem dúvida esperamos vitórias de ambos, são caras muito duros. A expectativa é ainda maior para o Roverso, para ganhar o cinturão, enfim, esperamos um aproveitamento 100% brasileiro.

Enquanto Michel Sassarito enfrentar o russo Eduard Vartanyan, Bruno Roverso vai encarar Aleksandr Grozin na disputa do título peso-pena. Investindo pesado no público brasileiro, assim como o russo, apaixonado por MMA, a organização ainda contratou recentemente Antônio Pezão, estrela da modalidade, ex-UFC e Strikeforce. Com um hall de atletas brasileiros cada vez maior na sua lista de lutadores e a parceria ativa com a MVP, uma edição no Brasil pode ser questão de tempo:

— Trazer o Open para o Brasil é uma vontade nossa, acho que por volta de outubro podemos concretizar, acredito que seja o momento ideal, mas ainda tem algumas conversas para acontecer. Em maio estou indo para a Rússia, para encontrar o dono do evento, e os patrocinadores para falar um pouco sobre esse projeto, mas sem dúvida, queremos fazer acontecer essa edição do Open aqui no Brasil ainda em 2021 — revelou Thiago Custódio, fundador da MVP.

Além do Open FC, evento no qual a MVP tem uma grande parceria, a agência de atletas ainda vem trabalhado com outros eventos de renome, como o LFA, o Future no Brasil, além de vir negociando com outras organizações do cenário norte-americano

Para entrar em contato com a agência, atletas e managers interessados podem  entrar em contato com a MVP tanto pelo Instagram: @mvp_management_intl, quanto pelo e-mail: thiago@mvpmanagent.com.br.



Continue lendo

Mais Vistos