conecte-se conosco

Entretenimento

Festival Balaiano reúne artistas de 37 municípios baianos em programação multilinguagem

Publicado

on


Festival reúne 55 obras entre shows musicais, performances, curtas, artesanatos e fotografias e cria banco cultural para dar visibilidade ao trabalho de artistas de toda Bahia

Um encontro diverso, plural e que pretende conectar a arte e cultura produzida nos seis macroterritórios da Bahia, essa é a proposta do Festival Balaiano que reúne cerca de 55 artistas de 37 municípios baianos em uma programação que inclui apresentações musicais, performances, curtas-metragens, exposições fotográficas e de artesanato. O festival acontece de forma online e gratuita através do youtube Festival Balaiano em dois finais de semana consecutivos 21, 22 e 23 de maio e 28, 29 e 30 de maio. A programação completa pode ser acompanhada através do site: www.festivalbalaiano.com.br/ ou das redes sociais: instagram @festivalbalaiano e facebook /festivalbalaiano.

Para compor a programação foi aberta uma seletiva que contou com mais de 250 inscrições. A curadoria foi realizada por uma equipe composta por agentes de diversos segmentos artísticos e representantes de cada um dos seis macroterritórios do estado, além de contar com o apoio de mobilizadores culturais dessas macrorregiões. Cada dia do festival será representado por um macroterritório e apresentará diferentes categorias das obras selecionadas, além de homenagear uma personalidade local que tem especial contribuição às artes e cultura da região. Por ordem dos macroterritórios os homenageados são: Dona Val, Emillie Lapa, Dolores Moreira, Mãe Lena, Osman Tanajura e Gilsérgio Botelho.

O Festival Balaiano nasce a partir da inquietação de um grupo de produtores culturais em encontrar novas maneiras de fomentar a arte e estimular a formação de cadeias produtivas artísticas baianas. De acordo com os coordenadores do projeto, André Oliveira, Edmilia Barros e Angela Marques, a proposta é evidenciar grupos criativos pouco conhecidos e engajá-los a interagir com artistas semelhantes, como forma de fortalecer e disseminar as produções por todas as regiões do estado. Por isso, além da programação do festival, o Balaiano também será um espaço online de conexão entre artistas baianos através do Balaio de Contatos, que será um banco de dados para o mercado cultural da Bahia.

O projeto tem apoio financeiro do Estado da Bahia através da Secretaria de Cultura e da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Programa Aldir Blanc Bahia) via Lei Aldir Blanc, direcionada pela Secretaria Especial da Cultura do Ministério do Turismo, Governo Federal.

SERVIÇO

Festival Balaiano

21, 22 e 23 de maio  e  28, 29 e 30 de maio

Sempre a partir das 19h, Gratuito e Online

Transmissão: youtube: Festival Balaiano 

 

PROGRAMAÇÃO

 

21 de maio de 2021 (Sexta): Macroterritório 1 – Homenageada: Dona Val

(Litoral Sul, Baixo Sul, Extremo Sul e Costa do Descobrimento)

Curta-metragem: “O Abebé Ancestral” – Direção: Paulo Roberto Ferreira Filho (Ilhéus)

Exposição fotográfica: “Odó-Iyá” de Maria Amália Martin (Itacaré)

Performances: “Solo Criativo Benditas Marias” de Mestra Lainha (Ilhéus) | “Sob Os Nossos Olhos” de Moara Sacchi (Santa Cruz de Cabrália)

Shows musicais: Sthelô (Teixeira de Freitas) | Eloah Monteiro (Ilhéus)

Artesanato: Nhei Matos (Itabuna) | Artesanato da Aldeia Txihi Kamaywra (Santa Cruz de Cabrália)

 

22 de maio de 2021(Sábado): Macroterritório 6 – Homenageado: Gilsérgio Botelho

(Médio Sudoeste, Vale do Jiquiriçá, Sertão Produtivo, Vitória da Conquista e Médio Rio de Contas)

Curta-metragem: “A Lenda de Rosa Maria” – Direção: Rodrigo Brito (Itapetinga)

Exposição fotográfica: “Tempo de Criança” de Rafael Jesan (Valença)

Performances: “Meu Balaio de Poesia” de Fonzin de Anajé (Anagé) | “Deslocamentos Ocidentais” de Laura Cristina (Caraíbas)

Shows musicais: Tiago Mota & Weldon Ribeiro (Itapetinga) | Luiza Audaz (Vitória da Conquista)

Artesanato: Effata (Vitória da Conquista) | “Folha Ateliê” por Tháua Tamborriello (Vitória da Conquista)  | “Nine Petite” por Rebeca Passos (Vitória da Conquista) | Recanto Vasos e Plantas  (Itapetinga) | Roger Barba O Artesão (Caetité)  | Sergio Ricardo  (Itapetinga)

 

23 de maio de 2021 (Domingo): Macroterritório 4 – Homenageada: Mãe Lena

(Irecê, Piemonte da Diamantina, Chapada Diamantina, Piemonte do Paraguaçu e Bacia do Jacuípe)

Curta-metragem: “Assombramitos” – Direção: Elizângela DaSilva (Morro do Chapéu)

Exposição fotográfica: “Miguel Calmon: uma cidade de memórias” de Jesser Oliveira (Miguel Calmon)

Performances: “Trapézio com perna de pau” de Sol Marques  (Palmeiras)  | “Respingos de Quarentena no Quintal” de Mara Santos (Palmeiras)

Shows musicais: Joana Terra (Barra da Estiva) | Mirceia Jordana (Iraquara)

Artesanato: Salomão Zalcbergas (Palmeiras) | Quilombola de Corcovado (Palmeiras) | Cícero Matos (Jacobina) | “Ateliê Menina Nordestina” por Cleide Araújo  (Itaberaba)  | “Arte em Traços” por Urânia Viana (Utinga)

 

28 de maio de 2021 (Sexta): Macroterritório 5 – Homenageado: Osman Tanajura

(Oeste Baiano / Bacia do Rio Grande, Bacia do Rio Corrente, Velho Chico e Bacia do Paramirim)

Curta-metragem: “A flor de um dia” – Direção: Deocleciano Teixeira de Araujo Neto (Bom Jesus da Lapa)

Exposição fotográfica: “Cultura e Cotidiano” de Diagnosticado (Santana)

Performances: “Sangue ao Alvo” de Joelma Alves (São Félix do Coribé) | “Precisamos falar sobre isso” de Pérola Luize (Bom Jesus da Lapa)

Shows musicais: Badu Araújo (Correntina) | Érico Lopes & Paulino Ronei (Santa Maria da Vitória e Cocos)

Artesanato: “Rabo de Gato” por Mailton Santos (Santana) | Tharcia Brito (Santa Maria da Vitória

 

29 de maio de 2021 (Sábado): Macroterritório 3 – Homenageada: Dolores Moreira

(Semiárido Nordeste, Itaparica (Ba/Pe), Portal do Sertão, Sisal, Piemonte Norte do Itapicuru)

Curta-metragem: “Tijuaçu: samba, superação e empoderamento” – Direção: Cida Nunes (Sobradinho)

Exposição fotográfica: “Cotidiano em P&B” de Camila Brandão (Paulo Afonso)

Performances: “Eu Sou o Mundo” de Teo Moraes (Feira de Santana) | “Luz” de Ruthe Maciel (Juazeiro)

Shows musicais: Davi Ferreira e Antônio Queiroz (Ichu) | Visage (Conceição do Coité)

Artesanato: “Ecotilápia” por Regina Soares (Paulo Afonso) | Mirtes Fernandes (Paulo Afonso)

 

30 de maio de 2021 (Domingo): Macroterritório 2 – Homenageada: Emillie Lapa

(Região Metropolitana de Salvador, Litoral Norte – Agreste Baiano  e Recôncavo)

Curta-metragem: “E Agora, Maria?” – Direção: Bruna Maria e Camila Gregório (Cachoeira)

Exposição fotográfica: “Resquícios” de Sanandra (Salvador)

Performances: “A Tua Voz” de Yuri Ferreira (Salvador) | “Estrela Maria” de Lara Nunes (Dias D’ávila)

Shows musicais: Dja Luz (Salvador) | Viviane Pitaya (Salvador)

Artesanato: “Álbuns patrimoniais de Sapeaçu” por Paula Anias e Isaias Peixoto (Sapeaçu)  | “Arte com Detalhe” por Vânia Gois (Conceição do Jacuípe) | Noel Brito (Salvador)

 

Site: www.festivalbalaiano.com.br

Youtube: Festival Balaiano 

Instagram: @festivalbalaiano

Facebook: /festivalbalaiano





Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

EDD atualiza boom no disco “Não digo nem meu nome”

Publicado

on


Na estreia do rapper curitibano EDD, o artista faz uma viagem sentimental às suas referências, trazendo um olhar contemporâneo em “Não Digo Nem Meu Nome”. Bebendo da fonte do boom bap e dos anos 90, o álbum está disponível em todas as plataformas de streaming.

Ouça “Não Digo Nem Meu Nome”: https://smarturl.it/NaoDigoNemMeuNome

Nascido Edgard Carvalho, EDD faz suas rimas desde a infância, mas foi só ao conhecer e começar a trabalhar com o produtor lucasbin que as rimas ganharam um flow maior e se tornaram o álbum. O objetivo é levar o ouvinte para as ruas do Boqueirão, em Curitiba, onde o artista cresceu, e suas histórias. Desde 2020, ele vem se destacando no cenário local também com o duo PP041, com o qual já lançou singles e dois EPs.

Mostrando sua forte personalidade na estreia solo, em “Não Digo Nem Meu Nome” EDD conta com participações de novos nomes da cena do sul do país como VERO, SegundaSessão, Vihen MC, Gody, Mika MC, DJ SKL, CRN e Rotiv. Apesar do título, o trabalho atesta a identidade de um artista só em começo de carreira e mirando alto e pode ser ouvido em todos os serviços de música digital.

Ouça “Não Digo Nem Meu Nome”: https://smarturl.it/NaoDigoNemMeuNome

Ficha Técnica:

Produção, engenharia, instrumentos, mixagem e masterização: lucasbin

Capa e fotos: Bface e Matheus Moura

Participações especiais: VERO, SegundaSessão, Vihen MC, Gody, Mika MC, DJ SKL, CRN, Rotiv

Crédito foto: Matheus Moura



Continue lendo

Entretenimento

Guttroll ganha destaque no metal internacional com o lançamento de “Rules”

Publicado

on


A banda de Thrash/Death Metal Guttroll lançou recentemente o single intitulado “Rules” nas principais plataformas de streaming. A faixa faz parte do disco “Invalid Leaders”, recém gravado pela banda e com previsão de lançamento para o segundo semestre de 2021. A banda lançou em conjunto com o single no canal de youtube o lyric video de “Rules”.  Assista: https://www.youtube.com/watch?app=desktop&v=IsDhW9fkdGc

 

O power trio formado por Alex Melo na bateria, Tulio Lobo no baixo e Rafael Ojeriza no vocal e guitarra, vem ganhando destaque na cena extrema nacional e internacional por suas inovações sonoras principalmente no formato de gravação, efetuado de forma totalmente analógica, o que traz um punch totalmente natural as músicas já que a banda realizou as gravações tocando, sem recursos digitais.

 

O single é com certeza uma mostra à que a Guttroll veio, dando a cara para bater, uma banda que traz a mais pura raiz do metal oitentista, com um som tirado na unha, na garra e na vontade.
Música com passagens drásticas e inovadoras, onde mudanças de tom acontecem além de viradas bruscas e secas.

 

Conversamos com a banda sobre sua trajetória, processo de composição e gravação, influências musicais, entre outras curiosidades. Confira! 

 

De onde surgiu o nome “Guttroll”?

O nome da banda surgiu do fato de Gutt vir da palavra vísceras ou visceral gutural e o roll veio da palavra rolo ou rolar que lembra o rock presente na vida de todos nós. Juntando a palavra Gutt e Roll temos um rolo visceral ou Guttroll. 

 

Como e quando a banda surgiu?

A banda surgiu em um jam session em 2015 em um festival semestral de bandas na cidade de Petrópolis chamado Solstício do Som.

 

A banda segue  promovendo seu último lançamento intitulado “Rules”. Como foi o processo de composição e gravação dessas faixas?

O processo de composição foi da forma que pudéssemos soar exatamente da forma que queríamos, como uma banda que traz o old school como base e que também é capaz de se comunicar com o novo cenário, trazendo assim um som raiz e ao mesmo tempo inovador. O processo de gravação foi totalmente analógico, realizado no studio Forestlab em Petrópolis juntamente com o produtor Lisciel Franco. Uma experiência que trouxe à banda um grande crescimento sonoro e conexão, já que gravamos tocando juntos o que traz uma naturalidade e fluidez a música. Além disso queríamos um som direto e honesto, o som que é exatamente aquilo que o público verá ao vivo.

 

De onde surgiu a ideia de gravar a faixa de forma oldschool?

A ideia surgiu exatamente do fato de que queríamos fazer o nosso som o mais honesto possível, sem inserção do digital e queríamos também um som tirado na garra, na vontade com o máximo punch possível, e estávamos buscando exatamente com que isso fosse perceptível ao ouvir nossa música.

 

O single foi muito bem recebido nos de sites de música especializada nacionais e internacionais . Como a banda está vendo esse feedback tão positivo do material lançado?

Esse feedback foi realmente surpreendente pra nós, acreditamos muito em nosso trabalho e fazemos isso com o máximo empenho, mas sinceramente não esperávamos tantas mensagens positivas de tantos lugares do mundo como temos recebido.

 

Suas músicas demonstram muita intensidade e entrega por parte da banda. Existe alguma composição que seja mais especial para vocês?  

Temos algumas músicas que são realmente especiais para a banda, mas Rules é sem dúvidas a mais especial por ser a primeira composição da banda.

 

Quais as bandas e fontes artísticas que inspiram o som do Guttroll?

Podemos citar inúmeras bandas, afinal somos três integrantes com várias diferentes influências e isso nos trás uma gama enorme, mas as principais dentro do metal temos clássicas como Black Sabbath, Death, Morbid Angel, Cannibal Corpse, Krisiun, Slayer, Anthrax, Testament e Exodus.

 

Como foi o processo de criação do lyric video de “Rules”?

O processo de criação foi realizado por um grande profissional da área que tem trabalhado com a Guttroll já a algum tempo, nosso amigo Phillipe Dutra, ele trabalhou intensamente para passar no vídeo exatamente a mensagem da letra de Rules.

 

Como vocês estão lidando com a pandemia de covid 19? Que tipo de interação a banda está tendo com o público nesse momento de pandemia?

Temos lidado com a pandemia com o máximo de cuidado possível não só com nossa saúde mas também com a saúde dos que nos cercam. Temos realizado ensaios apenas com os membros da banda em estúdio e participado de lives além da interação pelas redes sociais.

 

Podemos esperar um disco de inéditas em breve?

Nosso disco completo chamado Invalid Leaders está pronto e no momento estamos decidindo detalhes de capa e a forma de lançamento que poderá ser por um selo distribuidor, uma gravadora ou de forma independente.Estamos em negociação.

 



Continue lendo

Entretenimento

Fenômeno do novíssimo pop inglês, HRVY lança a dançante e explosiva “1 Day 2 Nights”

Publicado

on


Na abertura do verão no hemisfério norte e na retomada da vida pós-pandemia, o cantor e compositor inglês HRVY canta uma paixão explosiva e vivida de modo intenso em “1 Day 2 Nights”. Pensado para a pista e inspirado pelo trabalho recente do artista com DJs, o single traz o pop deste que é um verdadeiro fenômeno em seu primeiro lançamento por seu novo selo, a BMG.

Ouça “1 Day 2 Nights”: https://HRVY.lnk.to/1Day2NightsPR

A inspiração veio das noites de antes do COVID-19. A faixa foi composta por HRVY com Danny Shah (Kylie Minogue) e tem produção de Niamh Murphy (Little Mix, Melanie C) e mixagem de Will Reeves (A Boogie Wit Da Hoodie, Migos, Rico Nasty) e funciona como um escapismo para os dias atuais.

“Eu queria fazer uma música que soasse diferente de tudo que eu fiz antes. E sinto que todo mundo está precisando de algo bem dançante pra colocar a cabeça no lugar”, conta HRVY.

Aos 22 anos, ele já soma quase um bilhão de streamings em suas músicas e parcerias com artistas de diversos lugares do mundo como Jonas Blue, SEEB, o grupo de k-pop NCT Dream e a cantora cubana-americana Malu Trevejo. Recentemente ele foi uma das atrações especiais de um dos shows de celebração do 150° aniversário do icônico Royal Albert Hall.

Agora o artista busca outros ares e espaços com uma nova página em sua história. “1 Day 2 Nights” está disponível em todos os serviços de streaming de música.

Ouça “1 Day 2 Nights”: https://HRVY.lnk.to/1Day2NightsPR

Siga HRVY:

https://www.instagram.com/hrvy/

https://twitter.com/hrvy

Foto crédito: Sam Neil





Continue lendo

Mais Vistos