conecte-se conosco

Entretenimento

Dança, rock e tecnologia: Bailarina conta sobre experiência de coreografar espetáculo online

Publicado

on

Com mais de 10 anos de experiência, a bailarina Gabriela Moriondo teve um desafio incomum durante a pandemia: coreografar do zero um espetáculo em formato de live 3D de uma banda de rock. O resultado desta aventura você encontra na live “Da Ordem ao Fluxo  – Uma Live Híbrida e Experimental”, criada pelo Coletivo Metassoma (ES), que traz como protagonista o projeto My Magical Glowing Lens, criado pela multi-instrumentista e produtora musical, Gabriela Terra. O trabalho audiovisual está disponível online, no canal da MMGL. A bailarina concederá gratuitamente Workshop de Dança Contemporânea na próxima quarta-feira (04/08), via inscrição. Detalhes no serviço ao fim do texto.

Assista “Da Ordem ao Fluxo”:  https://youtu.be/G-Hp4BEXSYc

O primeiro contato entre coreógrafa e rockeira se deu ainda em 2020, quando a artista da música buscou aulas de dança com a bailarina. E desde esse momento começaram os encontros online durante a pandemia, que aconteciam enquanto elas pensavam no processo de criação.

Fotos:  Bernardo Firme

“Percebemos várias reflexões e processos análogos entre dança e música nos encontros, numa espécie de identificação. Daí surgiu o convite de continuar trabalhando com ela e integrando a equipe de Da Ordem ao Fluxo. O que foi uma alegria, pois sou fã do trabalho da Gabi. Gabi Terra se entregou aos exercícios de improvisação em dança de uma forma impressionante e dançou como se houvesse dançado a vida inteira. Sempre comentei com ela sobre sua inteligência corporal e  criatividade. Tudo fluiu de forma tão natural…”, avalia Gabriela Moriondo, responsável pela coreografia.

A naturalidade dos movimentos de Gabriela Terra não aconteceu sem um trabalho racional de Moriondo. A coreógrafa conta que buscou inspiração na expressão corporal da multi-instrumentista, como se os movimentos já existissem no próprio corpo de Gabi Terra.

“Apresento teorias do movimento e juntas experimentamos mover o corpo de diferentes formas. Em seguida entra a camada da intenção e o diálogo da dança com o som, que é tão potente e intrínseco à Gabi. O diálogo com o Glauber Vianna, diretor artístico, sobre os espaços virtuais onde Gabi dançaria cada coreografia também alimentou muito a forma dela de dançar, de olhar, de ocupar o espaço. Por fim, a tecnologia de captação de movimento fez suas próprias intervenções e exigências da dança e o resultado enfim apareceu. O processo foi extremamente gratificante.”, elogia Gabriela Moriondo.

Fotos:  Bernardo Firme

Com ensaios síncronos e virtuais, o processo se deu graças a uma metodologia elaborada em conjunto entre as duas. Por meio de reuniões online, o aprendizado corporal de Gabriela Terra foi acompanhado pelo diretor artístico, Glauber Vianna, que ajudava a imaginar os cenários que estão presentes no projeto “Da Ordem ao Fluxo”. Após alguns meses de ensaio, o projeto “Da Ordem ao Fluxo  – Uma Live Híbrida e Experimental”, teve resultado positivo para Gabriela Moriondo, que vê com bons olhos o encontro entre dança e tecnologia.

“As danças digitais com o uso da tecnologia de motion capture tem possibilitado criações incríveis e inéditas em dança. Sempre comento apaixonadamente com a equipe quando compartilhamos resultados, que quero muito continuar investigando essas possibilidades. Assim surge também o Coletivo Metassoma, que nasce do nosso encontro e do desejo de continuar criando. Busco, na dança contemporânea, explorar inesgotávelmente as possibilidades do corpo. E agora vejo um ambiente digital onde o corpo pode se transformar em infinitas informações visuais e habitar qualquer ambiente… Meu coração palpita com a urgência de experimentar tudo.”, afirma Moriondo.

Música, dança e tecnologia. Estas três manifestações serão unidas na experiência audiovisual “Da Ordem ao Fluxo – Uma Live Híbrida e Experimental”, que contará com a presença da My Magical Glowing Lens, projeto da produtora musical e multi-instrumentista capixaba Gabriela Terra. Em formato de live, a apresentação virtual traz uma retrospectiva do Cosmos (2017) e abre caminho para o lançamento de Gamana, o próximo disco da MMGL. O projeto estreia no dia 28 de julho, às 20h, e pretende ressignificar o olhar sobre a experimentação artística capixaba e conta com a visão e criatividade do coletivo artístico Metassoma.

Conheça Gabriela Moriondo

Gabriela Moriondo é capixaba, formada em Dança Contemporânea pela Escola do Teatro Bolshoi no Brasil (2014), especializada em Estudos de Dança pelo Trinity Laban Conservatoire of Music and Dance (2016), Qualificada em Performance de Dança Contemporânea (ATCL) pelo Trinity College London (2016), graduanda em Artes Plásticas na Universidade Federal do Espírito Santo, e atua como bailarina, instrutora, coreógrafa e produtora cultural independente no Espírito Santo. Pesquisando dança contemporânea e improvisação, Gabriela realizou intensivos em Israel e na Alemanha, e executou no estado do Espírito Santo o projeto Improviso Coletivo (2017), que contou com nove edições. Além disso, desenvolveu o espetáculo CYBER (2019), estreado na Matias Brotas Arte Contemporânea, e, como coreógrafa residente na Cia Reverence (ES), desenvolveu os espetáculos ZOON (2017) e (des)EQUALIZAR (2019), além de trabalhar em colaboração com outros artistas capixabas, como Maicom Souza, André Prando e Gabriela Terra (My Magical Glowing Lens).

Serviço Workshop

Dança Contemporânea com Gabriela Moriondo

Data: 04/08/2021 (quarta-feira)

Horário: 19h

Inscrição:  https://forms.gle/XpjKFeQ196F4GHk28

Duração: 2h

Vagas: 20

Acompanhe o Coletivo Metassoma: https://www.instagram.com/coletivometassoma/

Acompanhe Gabriela Moriondo

Instagram: https://www.instagram.com/gabrielamoriondo/

Facebook: https://www.facebook.com/gabriela.moriondo

YouTube: https://www.youtube.com/channel/UCa5QCWAHe7MK6o2vAO7UC2w

Fotos:  Bernardo Firme

Continue lendo
Clique para comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Entretenimento

Bad Luv estreia com o single ‘Eu só quero ser alguém’

Publicado

on


A Bad Luv nasceu no segundo semestre de 2021, em meio a uma pandemia, fruto de quatro mentes inquietas atrás de um novo desafio. O trio responsável pelo instrumental, João Bonafé (baixo), Murilo Amancio (guitarra) e Vitor Peracetta (bateria), já conhecidos pelo público, se une a Stefano Loscalzo, que pode parecer um rostinho novo, mas que traz consigo muitas horas de voo – seja nas plataformas de streaming, seja com suas bandas da época de adolescência, ou por trás das câmeras em palcos Brasil afora.

O single de estreia é ‘Eu só quero ser alguém’, já nas plataformas de streaming e em videoclipe.

Ouça no streaming: onerpm.link/452098476292

Assista aqui: https://youtu.be/hA8FA3xt7h8.

O single de estreia conta com uma intro parcialmente reveladora, elementos eletrônicos como a espinha dorsal da música, um refrão chiclete e linhas de bateria insanas, com referências do post-hardcore em meio a elementos eletrônicos.

A banda repaginou o conceito que os três músicos apresentaram em seus trabalhos anteriores, criando um universo novo, no qual aportaram dentro da galáxia artística que carrega Stéfano – ou Tefinho, para quem já acompanhou os primeiros movimentos da banda nas redes sociais.

O direcionamento moderno ainda se faz presente, mas agora é possível enxergar um pedaço mais íntimo, tranquilo e emotivo, proporcionado por Stéfano em seu baú de delicadezas sensatas e pontuais.

Como já dito por alguns que tiveram a oportunidade de escutar os primeiros singles da banda antes do lançamento: “É possível esperar um som para dançar de rostinho colado com a gata, ao mesmo tempo que também é possível curtir aquele som que vai te fazer pensar no seu lugar de mundo.” – e por que não essas duas nuances dentro de uma mesma música?!



Continue lendo

Entretenimento

Devassa produz série em que IZA cocria música inédita para a marca com talentos do ‘Gueto’

Publicado

on


Devassa anuncia a produção da série “Criatividade Tropical: Abre as portas para o Gueto” protagonizada por IZA. Parceria da marca de cerveja com a cantora, com idealização da agência HNK Lab, o audiovisual documentará o desenvolvimento de uma música inédita para a marca em celebração à potência cultural das periferias brasileiras.

A faixa será uma colaboração da “cria” de Olaria, Zona Norte do Rio de Janeiro, com nove talentos de diferentes subúrbios. “As nossas raízes e os momentos marcantes que vivemos na infância moldaram a nossa criatividade, uma força simbólica capaz de nos projetar para o mundo. Esse é o norte deste novo projeto”, adianta IZAEmbaixadora Tropical de Devassa.

A plataforma Digital Favela, que dá visibilidade a microinfluenciadores de aldeias e favelas do país, assina a curadoria dos talentos envolvidos. O projeto “Criatividade Tropical: Abre as portas para o Gueto” é dividido em três fases: iniciou em junho com live vertical do single “Gueto”, projetada em comunidades brasileiras; o próximo lançamento é a série, prevista para outubro; e finaliza com a música que será lançada por Devassa.

Fotos Crédito: Bruno Ryfer

As novidades sobre a série serão divulgadas nas próximas semanas. A produção é da Trace Brasil e a direção é da Aisha Mbikila.  “Devassa é uma marca que tem como propósito enaltecer o espírito transformador do brasileiro, já que ela é fruto de uma receita criativa adaptada para o clima tropical. Por isso, a série mostrará muita representatividade de talentos que promovem as transformações culturais que eclodem pelo país”, finaliza Vanessa Brandãodiretora de marketing do segmento Mainstream do Grupo Heineken Brasil.



Continue lendo

Entretenimento

Lâmmia lança EP ao vivo na expectativa de um retorno rápido aos palcos

Publicado

on


A banda Lâmmia lança o primeiro registro ao vivo, o EP ‘Lâmmia Live @ Resista Fest 2019’, gravado em fevereiro de 2019 no evento que aconteceu na cidade do Rio de Janeiro. A intenção é mostrar a força e o peso da banda ao vivo, além de matar um pouco a saudade daqueles que já vivenciaram essa experiência.

Ouça aqui: https://onerpm.link/lammia.

Com mixagem de Bruno Borges e masterização por Francisco Patetucho, o EP conta com 5 faixas, incluindo tracks do primeiro EP, ‘Lâmmia’, e também o single ‘Pulling Chain’, em versões ao vivo.

“Para a banda, lançar esse EP ao vivo é também uma forma de reviver a energia dos palcos, da atmosfera dos shows e da interação com o público, enquanto seguimos aguardando a volta dos eventos devido à pandemia de COVID-19”, conta a vocalista Carmen.

O destaque do EP é certamente a faixa ‘Pulling Chain’, que foi originalmente lançada como single em novembro de 2018. É uma música pesada porém dinâmica, com diversos momentos e ritmos diferenciados, misturando climas para criar uma música ousada e forte, aqui em uma eletrizante versão ao vivo.



Continue lendo

Mais Vistos