Hospital da UFRJ pode fechar um terço dos leitos até fim

O município do Rio de Janeiro tem, nesta quinta-feira (9), 122 pessoas internadas com covid-19; ontem (8), eram 80. Além disso, 12 pessoas aguardam vaga para hospitalização. Os dados da Secretaria Municipal de Saúde do Rio (SMS-Rio) foram atualizados às 14h15 de hoje. Segundo o Painel Rio Covid-19, a taxa de ocupação dos leitos disponíveis chegou a 50% e 1,8% dos pacientes estão internados com covid-19.

Já o Painel Coronavírus Covid-19 da Secretaria de Estado de Saúde do Rio (SES), informa que, na Semana 23, que começou no dia 5 e termina neste sábado (11), estão internadas por causa da doença, 52 pessoas. A Semana 22, entre 29 de maio e 4 de junho, teve 159 internações. Os dados de ontem do painel mostram que havia 16 pessoas na fila de espera por um leito e 20 solicitações por enfermaria e oito de UTI, ambas para adultos.

De acordo com a SMS-Rio, hoje os leitos para tratamento da covid-19 estão concentrados no Instituto Nacional de Infectologia, da Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), e no Hospital Universitário Pedro Ernesto, da Universidade do Estado do Rio de Janeiro, que são atualmente referência para casos graves da doença, que necessitem de internação.

A secretaria informou também que todos os leitos municipais que atendiam pacientes covid-19 foram convertidos para o tratamento de outras especialidades. “Nenhum leito foi fechado, foram todos destinados às demais demandas de saúde da população.”

Ainda conforme a secretaria, a situação epidemiológica na cidade continua sendo monitorada em termos de número de casos e internações e óbitos, e evolução da vacinação com a dose de reforço. Segundo a SMS-Rio, se for preciso, os leitos poderão ser novamente convertidos para tratamento de covid-19.

A SMS-Rio informou que enviou ofício ao Ministério da Saúde e à SES, no dia 1° de junho, solicitando a abertura de leitos bloqueados para tratamento de pacientes com covid-19 nas unidades federais e estaduais do Rio.

A secretaria estadual também acompanha diariamente indicadores precoces da covid-19, como o número de solicitações de leitos e de atendimentos nas emergências e nas unidades de pronto atendimento (UPAs) do estado. A SES atua com um plano de contingência que é acionado conforme o avanço dos cenários epidemiológicos. “Com base nesse plano, em cada nível de ativação, são definidas as medidas de enfrentamento que serão tomadas. Havendo necessidade de ampliação de leitos, a secretaria conta com um cronograma escalonado para reversão dos leitos de covid-19, que, com a redução na transmissão da doença, foram revertidos para atender casos clínicos.”

Segundo a SES, no último sábado (4), 30 leitos de enfermaria do Hospital Estadual Dr. Ricardo Cruz foram revertidos para atendimento de casos de covid-19 e na segunda-feira (6), dez leitos de UTI.

Na sexta-feira passada, a Subsecretaria de Vigilância e Atenção Primária à Saúde encaminhou nota técnica aos 92 municípios fluminenses com orientações sobre testagem para covid-19. “O texto alerta para que as unidades básicas e de pronto atendimento mantenham a oferta de teste rápido de antígeno para todos os casos de síndrome gripal.” Se a demanda ultrapassar a capacidade de atendimento das unidades básicas de saúde e das UPAs, será avaliada a possibilidade de reabrir os centros de testagem na rede estadual em apoio aos municípios.

Ontem (8) a pasta recebeu cerca de 450 mil testes de antígeno, que serão distribuídos aos municípios que solicitarem o insumo. 

Fonte: Agência Brasil

Polícia de Paris admite possível erro sobre ingressos na final da Liga

Artigo anterior

Festival IPA Day lança crowdfunding para reequilibrar contas após pandemia

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.