Depois de três álbuns completos, dois EPs e outros projetos paralelos, o cantor, compositor, instrumentista e produtor capixaba radicado em São Paulo André Graciotti lança mais um trabalho como cellardoor: o álbum “one by one”. Traduzindo em música suas buscas recentes sobre temas como espiritualidade e nossa reconexão com a natureza, o lançamento sintetiza essas questões em canções intensas, indo de tons do rock alternativo e indie ao experimentalismo eletrônico. Depois de uma série de lyric videos, agora “one by one” está disponível para streaming.

Ouça “one by one”: https://li.sten.to/onebyone

Desde sua concepção, cellardoor é uma busca por canções com elaboradas texturas eletrônicas e paisagens sonoras-visuais através de uma estética melancólica, sem perder sua sensibilidade pop. Depois de se dirigir ao mundo exterior, em colaborações com cantoras de diversos países, neste novo trabalho, André volta seu olhar inovador para questões de foro íntimo.

Confira o lyric video “Antibodies” (feat. Julie Yukari): https://youtu.be/-BKqauX8QSw

O título “one by one” vem de uma frase da música “The Shaman (Fire in Us)”, cuja sonoridade e letra buscam referências nos rituais xamânicos e na ideia de agregar e despertar mais pessoas para nos fortalecer diante de um mundo que parece cada vez mais desafiador; chamar “um por um” para formar uma egrégora, ou seja, uma força espiritual coletiva.

Confira o lyric video “Footprints”: https://youtu.be/1lGTk-sHq-g

Embora esses temas não sejam estranhos a cellardoor, algumas das canções do novo álbum foram compostas há alguns anos e retrabalhadas dentro da estética do disco por estarem em sintonia com as demais faixas – é o caso de “Red Herring” e “Bloom of Youth”. A atual pandemia também aparece nas letras, desde o negacionismo anti-vacinas (“Antibodies”) até as angústias do confinamento e a aceitação de mudanças inesperadas (“New World”).

Confira o lyric video “Elegy”: https://youtu.be/VMDHln3H3qQ

“The Foundry” é um cover de Gravenhurst, projeto do músico Nick Talbot, falecido em 2014. “Decidi por este cover não só como homenagem a um artista que sempre me foi muito influente e considero subestimado, mas sempre interpretei essa letra como o mal chega sempre sorrateiramente por negligência nossa e dá espaço para o fascismo. Achei que casaria bem com as temáticas que trabalhava nas outras faixas”, explica.

Confira o lyric video “New World”: https://youtu.be/NF6lwwduYdE

Por fim, “Elegy”, que encerra o álbum, foi feita para o pai de André, que faleceu em 2019 de câncer e saiu na coletânea “Fiction Avenue”, lançada em vinil pelo selo Exquisite Noise.

cellardoor começou em Vitória (ES), em 2005, época em que Graciotti buscava um escape para canções que não encaixavam nas suas bandas naquele momento, voltadas para hard rock e electro-pop e onde atuava como guitarrista. Uma mudança para São Paulo, em 2010, trouxe um maior investimento em estudos de produção, equipamento e parcerias, indo de nomes independentes nacionais  a internacionais – entre eles o artista de drone music Gimu, o duo Godasadog e os músicos Luis Calil (da banda Cambriana) e Victor Meira (da Bratislava).

Foi também neste ano que cellardoor ganhou seu primeiro álbum, “palimpsest”, seguido por “All That Is” em 2011. Logo no ano seguinte, viria o disco “ástarsaga”. Em comum, esses trabalhos trazem uma sonoridade dream-pop mesclada a um post-rock com vocais. Para o EP “Random Alarms”, o músico deixou de lado a guitarra e o violão ao explorar um lado mais electro, EDM e synthpop de seu trabalho. Já no EP seguinte, “Changing Tides”, o nome antecipava uma nova direção criativa, com André se voltando para o estilo singer-songwriter, flertando com o indie folk. Neste período, lançou sua música mais popular até hoje, a faixa-título “Changing Tides”.

Buscando reunir todas essas diferentes referências em um só álbum, cellardoor se uniu a vocais femininos de diversos países garimpados em redes sociais como Bandcamp e Soundcloud. Lançado em 2018, “Seashores & Riversides” traduz em seu título a busca por conexões geograficamente distantes. Ainda naquele ano, cellardoor colaborou com uma releitura de “Where I end and You Begin” para a coletânea “Raindown”, que celebrou o repertório da banda inglesa Radiohead em um lançamento do site Scream & Yell. Logo em seguida, assinou com o selo americano Exquiste Noise Records.

Desde então, cellardoor prepara outras novidades onde explora outras referências. Um outro lado de seu trabalho surgiu no projeto Superior Completo, iniciado em 2018 para canalizar suas angústias políticas diante do cenário polarizado nacional. Inicialmente pensada para lançar apenas o single “Quemdenós”, a iniciativa acabou por render outras canções, com uma produção mais experimental e letras em português. Em 2020, ainda como Superior Completo, André lançou, em parceria com o músico americano ONISM, o EP bilíngue “The Life or The Next”, unindo suas reflexões políticas diante do caos instaurado em ambos os países – EUA e Brasil -, que lidavam com dramas similares, com políticas obscurantistas e uma pandemia trágica.

Agora, cellardoor se volta para as nossas buscas mais intrínsecas em um álbum onde convida o ouvinte a um mergulho visual, lírico, estético e espiritual. “one by one” está disponível para streaming.

Ficha técnica

Todas as músicas escritas e produzidas por André Graciotti, exceto “The Foundry”, por Gravenhurst;

Mixagem e masterização por Luis Calil, exceto “Elegy”, mixagem por André Graciotti;

Participação vocal em “Antibodies” por Julie Yukari

 

Acompanhe cellardoor:

https://www.instagram.com/cellardoorbr/





Fonte

TV Brasil deve chegar a todos os estados brasileiros em 2022

Artigo anterior

Brasileiro radicado em Portugal, Lucas Augusto da Silva une MPB e literatura no EP “Desjejum”

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *