O Flocão de Milho mais queridinho da Bahia está de cara de nova. O principal produto da Cooperativa Agropecuária Mista Regional de Irecê (Copirecê) ganhou nova embalagem com o Selo de Identificação da Agricultura Familiar da Bahia, que dá ao consumidor a garantia de adquirir um produto genuinamente originário da agricultura familiar.

A nova embalagem também traz o QR Code, permitindo ao consumidor o acesso às informações de todos os processos desenvolvidos na produção, da propriedade até o alimento chegar à sua mão, e faz parte das ações do projeto do Governo do Estado, Bahia Produtiva, de promover acesso ao mercado aos produtos de cooperativas e associações da agricultura familiar baiana.

De acordo com a representante comercial da Copirecê, Vamary Santos, as melhorias dos produtos da cooperativa ajudam na inserção nas redes de varejo e atacado no Brasil: “Essa embalagem nova traz a logo da nossa marca Copirecê Puro Milho, e o mais importante é que o selo da agricultura familiar vem com o QR Code, para o cliente fazer a leitura e conhecer um pouco mais da origem do produto. Todo nosso mix de produtos terá novas embalagens”. 

A cooperativa também produz Mingau de Milho Verde, Mingau Multicereais, Mugunzá e Creme de Milho, todos reconhecidos por serem os únicos não transgênicos do estado. As vendas são realizadas para lojas de produtos naturais em Salvador, como Mundo Verde, Viva o Grão, Nutrição Completa, Boi Vivo. Também podem ser adquiridos e entregues em casa, pelas plataformas balcao.online/coophub e www.escoarbrasil.com.br.  

A Copirecê também está presente em municípios baianos como Juazeiro, Senhor do Bonfim, Alagoinhas, Jacobina, Seabra, Feira de Santana e outros estados do país, como Paraná, Rio de Janeiro, São Paulo, Rio Grande do Norte, Pernambuco e Paraíba. 
  
Investimentos

A cooperativa é apoiada pelo Bahia Produtiva com o investimento de R$ 1,4 milhão, aplicado na aquisição de um caminhão, para o escoamento da produção, comunicação visual e embalagens, construção de galpão industrial e aquisição de máquinas e equipamentos, visando garantir o acesso dos produtos a mercados mais competitivos. Os agricultores ligados à cooperativa são beneficiados com a entrega de insumos, grãos não transgênicos e assistência técnica e extensão rural (Ater). 

O Bahia Produtiva é executado pela Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR), empresa pública vinculada à Secretaria de Desenvolvimento Rural (SDR), com cofinanciamento do Banco Mundial.

Fonte: Ascom/ SDR



Inflação atinge todas as faixas de renda em fevereiro, diz Ipea

Artigo anterior

Minas não terá jogos de outros estados durante lockdown de 15 dias

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.