Foto: Divulgação

O protagonismo feminino na área tecnológica esteve, por muitos anos, reduzido e até mesmo ocultado por causa do machismo presente na sociedade. Pensando em mudar esse cenário, a Secretaria de Ciência, Tecnologia e Inovação da Bahia (Secti) lançou, nesta quarta-feira (17), com transmissão pelo canal do Youtube Secti Bahia, o Programa EmpoderADAs. Serão disponibilizadas 5 mil bolsas gratuitas em cursos ligados à área de tecnologia e mentoria de carreira para mulheres de toda a Bahia. A ação tem o objetivo de fortalecer o mercado tecnológico feminino baiano na área da tecnologia da informação.

Com o apoio das secretarias de Políticas para as Mulheres (SPM), Promoção da Igualdade Racial (Sepromi) e Educação (SEC) e da startup Womakers Code, a missão do programa é inspirar e impulsionar meninas e mulheres que desejem ingressar ou se especializar em carreiras ligadas à tecnologia e inovação. O nome do programa foi escolhido em homenagem a Ada Lovelace, mulher reconhecida como a primeira programadora da história a escrever um algoritmo para ser processado por uma máquina analítica de Charles Babbage. Ela desenvolveu algoritmos que permitem que a máquina compute os valores de funções matemáticas e ainda publicou uma seleção de notas sobre a máquina analítica.

A secretária da Secti, Adélia Pinheiro, entende que o incentivo às mulheres é mais uma das ações que fará com que o setor de tecnologia e inovação da Bahia seja amplamente reconhecido em outros lugares. “O Governo da Bahia tem o compromisso de trazer políticas públicas e ações que se comprometam com o enfrentamento à desigualdade de gênero. Queremos que as mulheres possam assumir o seu protagonismo nas áreas de tecnologia e inovação. O mercado de trabalho da CTI exige que tenhamos pessoas qualificadas para postos que ainda não foram ocupados na Bahia. Precisamos de mais mulheres no poder”, enfatizou.

A secretária de Políticas para as Mulheres, Julieta Palmeira, lembrou que esta não é a primeira parceria entre a Secti e a SPM em busca de igualdade no setor tecnológico da Bahia. “Acredito que essa parceria para ampliar a participação de mais mulheres na área da tecnologia não é apenas um recorte de gênero. Nós do governo estamos sempre em busca de políticas integradas que tragam algum efeito para a nossa sociedade. Essa não é a primeira vez que somos parceiros em uma ação voltada para mulheres no empreendedorismo. Recentemente, estivemos juntos no Edital Inventiva. Essas vagas são ainda mais importantes para o nosso estados, pois aborda um grande problema que é o funil que existe ainda na área de CTI. É importante estarmos debruçadas nessa questão para que possamos driblar essa cultura discriminatória e trazer mulheres para onde elas quiserem atuar”, completou.

Para a fundadora da Womakers Code, Cynthia Zanoni, o maior objetivo da empresa é fortalecer o protagonismo feminino na área de tecnologia. “Acreditamos que quando uma mulher dá um passo, todas estarão mais próximas da vitória. Isso significa que a partir do momento que ajudamos mais mulheres a entrar no mercado de trabalho e a permanecerem nele, elas vão começar a trazer mais mulheres, porque elas vão entender que aquele é um espaço que nós podemos ocupar”, afirmou.

Serão 12 cursos, disponibilizados de maneira online pela plataforma da startup. Além dos cursos gratuitos, o Empoderadas também irá ofertar mais de 5 mil vagas para eventos online que serão realizados mensalmente pela Womakers Code. Os eventos estarão focados em prestar mentoria e guia de carreira para as mulheres que fazem ou querem fazer parte do mercado de trabalho nessa área. As inscrições podem ser feitas no site www.maismulheres.tech/p/bahia.

Fonte: Ascom/Secti



Curso de tecnologia de pesca movimenta Terminal de Salvador

Artigo anterior

Governo qualifica 8 portos no Programa de Parcerias de Investimentos

Próximo artigo

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *